Colónia, a cidade galeria

mariana-abrantestexto e fotos Mariana Abrantes
geral@w360.pt

 Colónia, Alemanha

Luz, Magia, Acolhedora e Berliner


Colónia, a cidade galeria pela sua concentração artística por metro quadrado, pela sua beleza delicada e pela sua catedral inigualável. Nas minhas viagens gosto de registar a luz das cidades e Colónia tem algo enigmático e controverso no seu pôr do sol – uma luz que intimida mas que aconchega ao mesmo tempo…

É desconcertante a chegada pela estação central. Sem estar à espera, ao sair, impõe-se sobre a nossa pequena figura humana a catedral mais dramática, profunda, detalhada e intemporal. É sem dúvida um dos pontos mais importantes da cidade e não se consegue ser indiferente.

Catedral de Colónia

Mesmo nesta zona encontra-se o Museum Ludwig que apresenta uma linha temporal no mundo da arte moderna muito bem organizada, com vários salões que também expõe artistas contemporâneos, além da sua arquitectura que liga de forma exemplar o seu conteúdo expositivo excelente com a envolvente da catedral, a praça principal e a margem do Reno.

Museum Ludwig

Se estiver bom tempo vale a pena cruzar a ponte dos cadeados coloridos e ir até ao miradouro no último piso do KölnTriangle e aproveitar o pôr do sol sobre a cidade e sentir a magia do tempo sobre o espaço.

Ponte Deutzer
vista de KölnTriangle

Colónia, para além de ter uma escala acolhedora tem uma energia muito tranquila e uma vida na rua que envolve quem visita. Perdemo-nos nas ruas do centro e descobrimos cafés simpáticos, galerias inspiradoras, lojas (como a Lego Store) que nos remetem para outros mundos, o típico pão com a salsicha alemã nos vários quiosques e vitrines deliciosas de doces e Berliner – os bolos típicos que inspiraram as Bolas de Berlim e que nos deixam com sorrisos de açúcar.

LegoStore

Berliner

A quem se interessar especialmente por arquitectura aconselho uma visita ao Kolumba Kunstmuseum, reabilitado a partir de ruínas de uma igreja pelo arquitecto Peter Zumthor. O seu conteúdo é maioritariamente religioso mas o edifício e os seus pormenores são realmente intrigantes e meticulosos. Justificam uma visita por todo o espaço; de qualquer maneira dá para ir à zona da capela e visitar essa parte sem ser necessário adquirir bilhete.

 

Kolumba Kunstmuseum
Kolumba Kunstmuseum

Mais ao fim do dia, podemos explorar os bares da zona universitária com vários ambientes: uns mais festivos, outros mais descontraídos ou até intimistas. Se o  plano fôr mais calmo podemos ir à zona entre Rudolfplatz e Friesenplatz com restaurantes e cafés/galerias (Kunstbruder Bar) muito diferentes com muita personalidade, alguns com decorações temáticas e outros mais discretos mas muito aconchegantes.

Ao despedir fica já a saudade e o sorriso luminoso de quem voltará!

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção à autora: geral@w360.pt