publicidade

Madrid, a cidade casa

mariana-abrantestexto e fotos Mariana Abrantes
geral@w360.pt

 Madrid, Espanha

Noite, Tascas, Equilíbrio e Descobertas


Ao sair de Copenhaga e aterrar em Madrid suspiramos CASA… temos essa sensação quando sentimos que há milhares de pessoas nas ruas à noite, as esplanadas e restaurantes estão repletos daquele burburinho estridente tipicamente espanhol. A palavra “frio” ganha uma dimensão de fresquito ou talvez uma brisa! Sentimos o cheiro familiar de comida reconfortante e os sorrisos de partilha de umas boas tapas nas várias tascas na zona das Huertas! Uma porta discreta na Calle Ave María é a entrada para um do sítios mais madrilenos: o bar Melo’s – é tudo o que imaginamos de uma tasca portuguesa mas podemos petiscar pimentos padron, empanadas, croquetas e pedir uma enorme zapatilha (que não param de sair de trás do balcão) sempre acompanhados de revigorantes cañas geladas!

Bar Melo’s

Nunca é demais aproveitar a vista do Círculo das Bellas Artes, ver uma exposição e almoçar no fantástico restaurante ou explorar a zona de Noviciado, onde encontrámos ao virar da esquina o Museo ABC, escondido entre prédios! Para além das suas lojas e ambientes diferentes fiquei a conhecer o Café Federal com opções vegetarianas deliciosas!

Fachada do Museo ABC
Pormenor do Restaurante
Exposição de Lisboa de Pessoa, no Círculo de Belas Artes
Vista do Círculo das Belas Artes

Madrid tem um equilíbrio admirável entre os habitantes e os turistas, entre os espaços urbanos e os espaços verdes, entre o trabalho e o lazer, entre o tradicional e o contemporâneo e sinto isso de cada vez que a visito e vou explorando novos pontos da cidade.

Mas como o tempo era pouco para deambular, optei por uma viagem de autocarro desde as Torres Kio até à Fuente de Cibeles, um percurso muito interessante de descobertas e novos pontos de vista para relaxar um pouco e dar uma vista de olhos nessa avenida enorme.

Torres Kio

Em Madrid, além de ficar a faltar espreitar muitas outras coisas, fez-me falta ir ao Retiro. Um dos meus espaços favoritos de Madrid.

De volta, para variar do avião, escolhi o comboio directo até Coimbra. A viagem dura aproximadamente oito horas, mas como é feita à noite passa num instante, entre conversas no bar do comboio e uma soneca já estamos a chegar, pelas cinco da manhã, à cidade do Mondego.

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção à autora: geral@w360.pt