publicidade

Um simples post-it pode prolongar a vida útil do seu passaporte

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Cláudia Paiva

O truque é simples e pode fazê-lo poupar dinheiro

publicidade

Quem viaja com frequência para fora da Zona Schengen está habituado a ter que gerir o espaço no passaporte, para não correr o risco de ter problemas na alfândega no momento de ser carimbado. Mas os problemas podem começar muito antes.

Alguns dos países que exigem vistos de entrada pedem pelo menos uma página completamente livre, mas há outros que podem pedir até duas ou três páginas em branco, para que sejam lá colados todos os documentos necessários à entrada no país.

Agora imagine que está a entrar num determinado país e que o carimbo é colocado precisamente na última folha livre que tinha e que devia servir para o visto da viagem seguinte, o que é que vai acontecer? Vai ter que pedir um novo passaporte.

cropped-W_MINIATURA.pngTemos mesmo que ficar sem o passaporte antigo quando pedimos um novo?

Para além do tempo de espera, pedir um novo passaporte também implica custos que, em Portugal, se fixam em pelo menos €65 (no caso de um pedido não urgente). Mas há uma forma de evitar isto. Não é infalível, mas resulta na maioria das vezes e só precisa de um simples post-it para a pôr em prática.

A dica é dada por Chris Chamberlin, da Australian Business Traveller, e é bem simples. Cole um post-it nas páginas que quer deixar em branco e escreva simplesmente “Carimbe noutro lugar. Necessário para visto” [“Please kindly stamp on any other page. Saving space for one visa“].

“Tenho viajado com os post-its no meu passaporte há mais de um ano para preservar a última página e todos os oficiais de alfândega que encontrei foram mais gentis”, escreve Chamberlin que estima que a vida útil do passaporte aumentou em pelo menos dois anos.

Esta é, de facto, uma dica útil uma vez que os post-its são facilmente removidas das páginas do passaporte não deixando marcas nem violando qualquer regra de segurança.

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt