Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Pixabay

Aeródromo de Viseu destaca-se de outras infra-estruturas semelhantes

publicidade

Há uma estrutura aeroportuária no interior do país que se tem destacado das demais pela afluência crescente de aeronaves estrangeiras. O Aeródromo de Viseu é essa estrutura.

De acordo com o Expresso o Aeródromo de Viseu é a porta de entrada no país para aviões estrangeiros de ricos, empresários e jogadores de futebol que a partir dali seguem para a região do Dão, as quintas do Douro ou até mesmo o Gerês. “A maioria destes estrangeiros aterram e seguem de helicóptero, mas também há portugueses conhecidos que entram em Portugal através do Aeródromo de Viseu e seguem para o Gerês de helicóptero”, diz ao Expresso uma fonte local.

Estes utilizadores eram, maioritariamente, clientes do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, mas a maior disponibilidade de Viseu para pequenos aviões, assim como os preços competitivos do combustível têm feito disparar o número de aterragens e descolagens.

Outra das vantagens é a discrição e rapidez deste pequeno aeroporto. Evitando as filas dos principais aeroportos portugueses, os utilizadores ganham em comodidade e em anonimato. Ninguém dá pela sua entrada no país.

A mesma fonte adianta ao Expresso que o crescimento do aeródromo tem sido enorme. “De janeiro até 14 de novembro, o número de passageiros desembarcados em Viseu cresceu 54% e o número de embarcados aumentou 51%, comparados com igual período de 2016”

E, de acordo com os dados, a maioria de aviões que usaram o Aeródromo de Viseu em 2016 eram estrangeiros: 160 aviões estrangeiros contra 134 aviões portugueses. No entanto no primeiro semestre deste ano os números baixaram um pouco por causa de algumas restrições impostas à aterragem de aviões estrangeiros, mas no segundo semestre, levantadas as restrições, os números voltaram a subir.

Se as previsões do diretor da infra-estrutura se confirmarem, no final de 2017 vão totalizar-se cerca de 12 mil aterragens e descolagens o que significa que este aeródromo terá 352 vezes mais movimentos que o aeroporto de Beja, de acordo com dados da ANA, Aeroportos de Portugal, citados pelo Expresso. Embora a rota diária de passageiros assegurada pela SevenAir garanta muitos movimentos ao Aeródromo de Viseu, Paulo Soares esclarece que o bimotor que liga a capital da Beira Alta ao norte e sul do país só foi responsável por uma parte residual dos movimentos, sendo os aparelhos estrangeiros maioritários.

Espanha domina as nacionalidades ali presentes com 56 aviões, seguindo-se a Alemanha com 33, o Reino Unido com 26, França com 15, Itália com oito, e os EUA e a Polónia, ambos com cinco aviões.

A pista atual tem apenas 1160 metros, mas os vários pedidos de companhias estrangeiras que ali querem operar voos charter com capacidade para 100 a 200 passageiros, já levou a autarquia local, proprietária do aeródromo, a equacionar um plano de expansão. “A futura pista já está marcada no terreno e terá um comprimento máximo de 2700 metros, que permitirá a aterragem de aviões até à classe do Boeing 757”, refere Paulo Soares.

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Jonathan Besler

Timelapse condensa em apenas dois minutos quase dois meses de trabalho intenso.

publicidade

Divulgado recentemente pelo The Telegraph, um vídeo produzido pela Emirates mostra a transformação total de um dos seus A380.

Conhecida como 3C-Check, esta é uma revisão obrigatória que desmonta todo o avião deixando apenas um gigantesco monte de chapa.

Todos os quatro motores são retirados e transformados em milhares de pequenas peças para que cada uma possa ser analisada pela equipa de engenharia responsável pelo processo.

Mas não são só os motores que sofrem uma revisão intensa. Também todos os componente eletrónicos existentes no cockpit são retirados e analisados, assim como todos os sistemas elétricos presentes na cabine.

Este é o primeiro A380 da Emirates a sofrer uma revisão deste género, que acontece depois de ter percorrido mais de 12 milhões de milhas – o equivalente a cerca de 60 viagens à lua -, ter feito cerca de 3.000 aterragens e descolagens e ter transportado 1,2 milhões de passageiros desde que a companhia o começou a operar em 2008.

Aproveitando esta revisão profunda a Emirates aproveitou para reformular totalmente o interior da cabine, substituindo todas as poltronas de todas as classes, colocando uma alcatifa nova e até substituindo o bar da classe executiva.

Para fazer uma revisão desta envergadura a companhia do Médio Oriente precisou de manter parado este gigante dos ares durante 55 dias, tendo os engenheiros trabalho 24 horas por dia para fazerem a revisão de mais de 1600 peças.

publicidade

“Toda a revisão é meticulosamente planeada, sem espaço para atrasos. Manter uma aeronave em terra por muito tempo é uma despesa tremenda, o que significa que as nossas equipas de engenharia não só devam trabalhar de forma extremamente eficiente, garantindo um alto padrão de segurança”, disse Colin Disspain, vice-presidente de engenharia de base da Emirates ao The Telegraph.

Toda a operação que durou quase dois meses foi condensada num vídeo de apenas dois minutos que pode ser visto aqui:

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Austrian Airlines

Companhia aérea europeia é apontada como a primeira a instalar câmaras nos assistentes de bordo

publicidade

A Aurigny, uma pequena companhia a operar na Europa é apontada como a primeira empresa aérea a introduzir pequenas câmaras, instalas nos assistentes de bordo, com o objetivo de filmarem situações delicadas entre passageiros e tripulação.

“Por que razão devem ser apenas os passageiros a filmar o que se passa a bordo de um avião com um telemóvel e a editar os vídeos da maneira que lhes é mais conveniente? A tripulação não tem como documentar e explicar o que se passa no caso de uma situação extrema”, refere o CEO da Edesix, Richie McBride ao The New York Times (TNYT).

A Edesix é uma empresa que produz pequenas câmaras corporais que já são instaladas em profissionais de saúde, da área ferroviária e de vendas e que pretende alargar a sua área de atividade. E é precisamente à Edesix que o TNYT atribui um contrato para instalação destas pequenas câmaras corporais nas assistentes da Aurigny.

Depois de terem acontecido vários incidentes entre passageiros e assistentes de bordo, os sindicatos da área pedem medidas rápidas que para a maioria das companhias não devem passar pela instalação destas câmaras, pelo menos para já.

“A nossa posição não mudou, não temos planos de colocar câmaras nos nossos funcionários”, disse à mesma fonte um responsável da American Airlines, corroborado por outro responsável da JetBlue

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Notícias de Pequim

Hospedeira ficou ferida com gravidade

publicidade

Um vídeo recentemente publicado no Youtube mostra uma hospedeira a cair violentamente da porta traseira de um avião comercial. A queda aconteceu na passada sexta feira, 10 de outubro, no aeroporto Zhengzhou, na China e, de acordo com o jornal South China Morning Post, que cita um comunicado a companhia aérea responsável pelo aparelho – Xiamen Airlines -, a mulher partiu a clavícula  e recebeu tratamento hospitalar.

A queda terá ocorrido por acidente, no entanto não foram ainda adiantadas causas para o sucedido, nem que procedimentos estará a adotar a companhia.

De acordo com a Boeing, fabricante do avião em causa a porta traseira está a cerca de dez metros do chão, podendo estar mais ou menos elevada consoante a carga do aparelho.

O momento ficou registado em vídeo:

publicidade

Veja o vídeo:

Em menos de mês já é a segunda vez que operacionais de companhias chineses sofrem acidentes deste tipo. No final de outubro uma outra assistente de bordo chinesa da China Eastern Airlines também partiu vários ossos depois de uma queda da porta de uma aeronave.

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Polícia do Dubai

53 polícias do Dubai estabeleceram um novo record ao conseguirem puxar um A380

publicidade

53 polícias do Dubai estabeleceram na passada semana um novo record do mundo ao conseguirem mover um gigantesco Airbus A380 da Emirates por mais de 100 metros. O maior avião de passageiros do mundo pesa mais de 300 toneladas.

De acordo com alguns órgãos de comunicação social a ideia de quebrar este record foi do próprio Príncipe Herdeiro do Dubai que quer dar do Emirado uma ideia de local onde o desporto é levado a sério.

O anterior record desta área estava fixado em 100 pessoas a puxarem um avião de 218 toneladas e foi batido em Hong Kong.

publicidade

Veja o vídeo:

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Cargospotter

Momento ficou registado em vídeo

publicidade

Um vídeo publicado recentemente no canal de Youtube Cargospotter mostra o momento em que um pequeno Cessna Citation faz esperar um gigantesco Boeing 747 de transporte de mercadorias no aeroporto de Liege, na Bélgica.

publicidade

Veja o vídeo:

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto High Pressure Films

O vídeo foi gravado em 4k e disponibilizado no Youtube. 

publicidade

Um vídeo publicado recentemente no canal de Youtube High Pressure Aviation Films mostra a aterragem de um Boing 777 no aeroporto de Los Angeles, nos Estados Unidos da América. O vídeo, gravado em 4k foi captado no interior do cockpit do aparelho e fornece graficamente muitas informações ao público.

publicidade

Veja o vídeo:

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Austrian Airlines

Hospedeira revela o segredo para ser bem atendido num avião

publicidade

Um estudo publicado recentemente conclui que 67% dos passageiros norte-americanos acham que os passageiros que viajam em primeira classe recebem um tratamento mais amável por parte das assistentes de bordo dos aviões. Amanda Pleva, hospedeira na companhia JetBlue não concorda e revela qual é a forma para ter um tratamento diferenciado, mesmo na classe económica.

“Não conheço muitas hospedeiras ou comissários que vejam os passageiros premium de maneira diferente pelo seu status financeiro”, assegurou Pleva no blogue Flyertalk. “Ainda assim, mentiria se dissesse que a maioria de nós não preferimos os passageiros de primeira classe, mais do que os da económica”.

As declarações da assistente de bordo, acabam por ir ao encontro do estudo, no entanto, as motivações desta diferenciação de passageiros é que parecem não ser as mesmas.

“Sabe qual é a pior parte do meu trabalho? Não é limpar vomitado oi lidar com um passageiro a gritar-me na cara, a pior parte é quando estou na entrada do avião a dar as boas-vindas aos passageiros e eles me ignoram.”, esclarece Amanda Pleva constatando que os passageiros da classe económica têm mais tendência para fazerem isto porque, provavelmente, esperam menos interação com a tripulação.

“Como temos menos pessoas na business class temos tendência a estabelecer uma conexão mais pessoal com os nossos passageiros. Acredito que seja por isso que têm tendência a ser mais educados connosco. Quando as pessoas não se setem anónimas, atuam de forma diferente. Estou segura de que isso acontece com toda a gente”, conclui Pleva.

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Pilots Eye Tv

Um vídeo divulgado pela Pilots Eye Tv mostra os preparativos e a descolagem de um A380 a partir do cockpit

publicidade

Um vídeo divulgado pela Pilots Eye Tv mostra todos os preparativos das equipas de bordo para a descolagem do maior avião de transporte de passageiros do mundo. O vídeo mostra ainda todas as conversações entre a torre de controlo e os pilotos, no cockpit de um A380 da Lufthansa.

publicidade

Veja o vídeo:

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt