Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto DPRK360

Ranking está a gerar controvérsia entre alguns aliados americanos

A Coreia do Norte é um dos países para onde os cidadãos americanos estão impedidos de viajar por lei

publicidade

Os Estados Unidos criaram um ranking oficial que tem como objetivo identificar os países para onde os seus cidadãos não devem viajar e, em oposição, estão os países que não têm impedimentos. A listagem que funciona com atribuição de quatro níveis, de 1 a 4, em que os países aos quais é atribuído o nível 4 são os “nada recomendáveis” e aqueles que têm o nível 1, são os “mais recomendáveis”.

A segurança é o foco principal desta avaliação que coloca o Afeganistão, República Centro-africana, Irão, Iraque, Líbia, Mali, Somália, Sudão do Sul, Síria e Iémen com nível quatro motivado pela elevada possibilidade de crimes, terrorismo, sequestros e conflitos armados, esclarece o Travel.state.gov.


Embora seja um dos países mais inseguros do mundo, recentemente, o Turismo da Síria lançou esta campanha:


A Coreia do Norte também está carimbada com o número quatro, no entanto, a visita a este país já é proibida pela legislação americana.

A criação deste mecanismo está, no entanto, a criar algum mau estar entre alguns dos mais importantes aliados americanos, uma vez que lhes foi atribuído o número 2, que recomenda aos viajantes “alguma cautela” nas deslocações. Reino Unido, França, Alemanha, Espanha, Brasil, Colômbia, República Dominicana e México são alguns deles.

Cuba, Venezuela, Guatemala, Honduras e El Salvador são algumas das nações a surgir na terceira posição deste ranking o que significa que se estiver a planear passar alguns dias nelas, deve “reconsiderar a viagem”.

“Não se deixe enganar por uma nova categorização do Departamento de Estado, que inclui Cuba infundadamente no Nível 3 de risco, um país pacífico, saudável e reconhecido como um dos destinos mais seguros do mundo. Quase 5 milhões de visitantes em 2017 confirmam isso”, contrariou Josefina Vidal, diretora da divisão de Estados Unidos da chancelaria cubana, no Twitter.

Portugal surge neste ranking com o nível 1, ou seja, é considerado pelos EUA um dos países mais pacíficos do mundo e os viajantes não devem ter cuidados especiais aquando a sua viagem.

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto National Geographic

Snowborder britânico teve acesso a um dos países mais fechados do mundo

publicidade

Jamie Barrow é o mais veloz snowborder do Reino Unido e foi ele o cicerone da National Geographic para um documentário que mostra imagens inéditas da capital da Coreia do Norte e de uma das mais importantes instâncias de ski do país.

Barrow começou a sua viagem em Pequim onde apanhou um voo a que muito poucos têm acesso com destino a Pyongyang a bordo da companhia Air Koryo, a companhia de bandeira da Coreia do Norte.

Esta é uma viagem a que muito poucos têm acesso e que fica gravada neste vídeo:

publicidade

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto DPRK360

Aram Pan teve acesso à capital de um dos países mais fechados do mundo

publicidade

Foi revelado recentemente no Youtube um vídeo aéreo de Pyongyang, a capital da Coreia do Norte, captado por um fotografo que teve acesso privilegiado ao país.

Normalmente não é permitido captar imagens desta dimensão na Coreia do Norte no entanto, Aram Pan, autor do vídeo em 360º captado com recurso a uma avioneta, foi autorizado a fazê-lo ao abrigo de um projeto que está a desenvolver, o DPRK 360 que quer “abrir uma janela sobre o país com recurso ao vídeo, fotografia e tecnologias de realidade virtual”, explica à Lonely Planet News.

publicidade

“Em Pyongyang parece que voltámos ao início da década de 80 porque a cidade é muito composta por edifícios maciços da era soviética com pequenos incrementos de modernismo”, revela Pan à mesma fonte.

O vídeo pode ser visto aqui:

publicidade

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt