Agenda

Diogo Pereiratexto, fotos e vídeo Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

claudia-paivatexto e fotos Cláudia Paiva
claudiapaiva@w360.pt

Lisboa, Portugal



publicidade

Se pensarmos que Steve McCurry captou momentos como o 11 de setembro, a Guerra do Golfo, o conflito do Afeganistão, o Japão pós-tsunami ou o drama das crianças-soldado, podemos mesmo acreditar que a história deste homem se confunde com a história do mundo e que está na hora de fazermos uma retrospetiva.

Uma retrospetiva aos 30 anos deste fotógrafo da National Geographic é precisamente o que propõe a Alfândega do Porto que recebe “The World of Steve McCurry” depois de ter sido vista em Itália por mais de um milhão de pessoas e de ter passado por Bruxelas, Madrid e Barcelona. A curadoria está a cargo de Biba Giacchetti e a cenografia é do arquitecto italiano Peter Botazzi.

Mas comecemos pelo princípio e pelo primeiro motivo a justificar uma exposição de um fotógrafo: uma grande fotografia, claro, com uma grande história por trás.

Sharbat Gula, uma menina afegã de olhos verdes que foi capa da National Geographic é o ponto de partida para esta exposição. Ao lado da foto de 1984 está uma outra de 2002 e que mostra Gula XX anos depois, com traços de uma vida dura entre campos de refugiados, fugindo de guerras e sem oportunidade de voltar ao seu país.

Embora tenha feito da imagem a sua vida McCurry parece não acreditar no ditado que diz que uma imagem vale mais do que mil palavras, uma vez que é o próprio quem se encarrega de contar a história que está por trás de cada fotografia. Mas fá-lo sem impôr um caminho, os visitantes podem deambular pela sala e escolher quais os momentos congelados que querem ver primeiro de entre os mais de duzentos que estão expostos na Alfândega do Porto até ao final do ano.

publicidade

Steve McCurry já correu o mundo para congelar momentos. Esteve na Índia, Afeganistão, Sudoeste Asiático, África, Cuba Brasil ou Itália. Fá-lo porque, afirma em vídeos presentes na exposição, acredita que procurar momentos que o apaixonem lhe dá sentido à vida.

A vida do único homem que ganhou quatro vezes o World Press Photo tem fotografias que todos conhecemos bem, outras que nos impressionam e até uma coleção inédita a preto e branco que abre precisamente a exposição que pode ser vista até ao último dia do ano, no Porto.

The World of Steve McCurry
Porto, Alfândega do Porto
 crianças (4 aos 12 anos): €7 | estudantes: €9 | adultos: €11
segunda a sexta: 10:00 às 18:00 (última entrada às 17:00) | sábados, domingos e feriados: 10:00 às 19:00 (última entrada às 18:00)
14 de outubro de 2017 a 31 de dezembro de 2018

 O autocarro 500 com destino a Matosinhos Mercado pára mesmo em frente à Alfândega do Porto.

Guarde pelo menos duas horas para ver a exposição.

  O W360.PT esteve em direto da exposição “The World of Steve McCurry”. Veja aqui.

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção aos autores: diogopereira@w360.pt ou claudiapaiva@w360.pt
Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Tzvika Stein

Tzvika Stein é fotografo de paisagens e um dos seus lugares favoritos para tirar fotos é o Mar Morto


As imagens que vai ver, provavelmente, vão dar-lhe a sensação de que está perante uma pintura abstrata de aguarela, mas a verdade é que são fotografias aéreas tiradas por Tzvika Stein ao Mar Morto.

“O Mar Morto é um dos meus lugares favoritos para tirar fotografias. Vou lá muitas vezes, e estou hipnotizado pelas formas e pelos reflexos surpreendentes”, diz o fotografo israelita ao Lonely Planet.

“Hoje em dia, é muito perigoso andar na área, embora ainda haja fotógrafos aventureiros que o façam. Eu só ando e fotografo nas zonas mais seguras e uso o meu drone para fotografar enquanto permaneço em áreas seguras “, concluiu.

As fotos são publicadas na página de Instagram da fotografa:





Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Lugares

fotos Catherine Carvalho
geral@w360.pt
  

Viajar é percorrer lugares nas diversas multiplicações que nos proporciona. São elas os monumentos, os jardins, a arquitectura e a gastronomia. Catherine Carvalho, uma amante por espaços verdes, trouxe-nos alguns dos jardins da Europa pelos quais caminhou.

Portugal, Bélgica, Reino Unido, Alemanha e Holanda foram os países eleitos pelo olho desta jovem fotógrafa, que percorre a Europa para estar com as pessoas que ama, mas sobretudo para imortalizar as cidades nas adversidades das quatro estações.

1 Kralingse Bos, Roterdão

2 Palácio de Sanssouci em Potsdam, Berlim

3 Hyde Park, Londres

4 Brugge, Bélgica

5 Parque l`Abbaye de la Cambre, Bruxelas

6 Escola superior de artes visuais no Jardim Abbaye, Bruxelas

7 St Jean Pla de Corts, Sul de França

8 Quinta da Regaleira, Sintra

9 Bosque de Braine le Comte, Bélgica

 

 

 

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção à autora: geral@w360.pt