Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Pixabay

Incidente não provocou vítimas

publicidade

Dois aviões colidiram no Aeroporto JFK, Nova Iorque, no passado sábado, 6 de janeiro. O incidente ocorreu quando a asa direita de uma aeronave da China Southern embateu contra a cauda de um avião da Kuwait Airways. Não houve vítimas a registar, embora o sucedido tenha agravado os atrasos já existentes naquele aeroporto, motivados pelo mau tempo que se faz sentir em algumas zonas dos Estados Unidos.

De acordo com funcionários do aeroporto, citados pela CNBC, o avião da China Southern estaria a ser rebocado sem passageiros. Os passageiros que esperavam a descolagem no avião da Kuwai Airways já não puderam seguir viagem, acabando por ser colocados em hotéis da cidade.

De acordo com a Kuwait Airways o caso está a ser investigado pelas autoridades de Nova Iorque.

Desde sexta-feira que muitos dos aeroportos americanos estão altamente congestionados em virtude do mau tempo que se faz sentir no país e que têm levado ao cancelamento de centenas de voos.

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Lord of the Wings

Co-piloto terá dado uma bofetada a comandante

publicidade

O cockpit de um avião da indiana Jet Airways que fazia a ligação entre Londres e Mumbai no passado dia 1 de janeiro esteve temporariamente sem pilotos ao comando. Co-piloto e comandante ter-se-ão envolvido numa discussão.

De acordo com o jornal The Times of Índia o co-piloto terá dado um estalo à comandante do avião na sequência de uma discussão em pleno voo. A mulher abandonou o cockpit em lágrimas e a tripulação não conseguiu convencê-la a voltar para o seu lugar. Terá sido o próprio co-piloto a conversar com a comandante fora do cockpit – deixando-o vazio – a fazê-la voltar para os comandos da aeronave.

No entanto a comandante acabaria por sair de novo do seu lugar provavelmente porque a discussão terá recomeçado. Desta vez foi um dos tripulantes a convencê-la a voltar para os comandos do avião.

Este caso está a ser investigado pelas autoridades e, de acordo com a mesma fonte, a licença do co-piloto foi suspensa.

Um porta-voz da Jet Airways veio dizer que o caso acabou por se resolver “amigavelmente” e salientou que “na Jet Airways, a segurança dos passageiros, membros da equipa e ativos é de extrema importância e a companhia aérea tem tolerância zero para qualquer tipo de comportamento por parte dos trabalhadores que comprometa essa segurança”

À meia noite os 324 passageiros e 14 tripulantes acabariam por aterrar em segurança em Mumbai.

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Aero Icarus

Voo da Delta fazia a ligação entre Atlanta e Detroit

publicidade

Um voo doméstico com origem em Detroit, nos Estados Unidos da América e destino a Atlanta foi obrigado a regressar ao aeroporto pouco tempo depois de descolar no passado dia 31 de dezembro. O motivo para voltar à origem prende-se com a presença de um pequeno pássaro no cockpit do avião da Delta Airlines.

De acordo com a Travel Leisure o piloto da aeronave apercebeu-se da presença da ave ainda no solo e pediu ajuda para tentar retira-la de lá. No entanto a ave ter-se-á escondido dando a entender aos pilotos, tripulação e demais assistentes que teria fugido.

O avião descolou com os pilotos convictos de que o pequeno pardal (algumas testemunhas disseram que a ave poderia ser um pardal) já não estava no interior da aeronave, no entanto já com o aparelho a caminho de Atlanta o animal decide dar nova prova de vida obrigando os pilotos a regressar ao aeroporto de Detroit por motivos de segurança.

“Por segurança o capitão tomou a decisão de retornar a Detroit para evitar uma possível distração durante o voo. O pássaro foi removido com segurança e libertado.”, refere um porta voz da companhia.

Muitos dos passageiros não ficaram satisfeitos com a decisão dos pilotos tendo protestado e acabando por trocar de voo quando o aparelho aterrou.

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Cargospotter

Aconteceu no aeroporto de Düsseldorf.

publicidade

O conhecido youtuber e spotter Cargospotter partilhou no seu canal um vídeo gravado no aeroporto de Düsseldorf onde é possível ver a descolagem de um Airbus A330 da Lufthansa que quase entra em tailstrike.

Tailstrike acontece quando, durante a descolagem ou aterragem, a elevação do nariz do avião é demasiado abrupta podendo conduzir à colisão da zona da cauda do avião com o solo.

Veja o vídeo aqui:

publicidade

No Youtube é ainda possível encontrar outros casos de tailstrike ou eminência de tailstrike.

Neste caso, um Boeing 767 fica muito próximo de levar a cauda a uma colisão com o solo:

publicidade

Neste outro vídeo é possível ver um 737 da Delta em tailstrike:

publicidade

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Notícias de Pequim

Hospedeira ficou ferida com gravidade

publicidade

Um vídeo recentemente publicado no Youtube mostra uma hospedeira a cair violentamente da porta traseira de um avião comercial. A queda aconteceu na passada sexta feira, 10 de outubro, no aeroporto Zhengzhou, na China e, de acordo com o jornal South China Morning Post, que cita um comunicado a companhia aérea responsável pelo aparelho – Xiamen Airlines -, a mulher partiu a clavícula  e recebeu tratamento hospitalar.

A queda terá ocorrido por acidente, no entanto não foram ainda adiantadas causas para o sucedido, nem que procedimentos estará a adotar a companhia.

De acordo com a Boeing, fabricante do avião em causa a porta traseira está a cerca de dez metros do chão, podendo estar mais ou menos elevada consoante a carga do aparelho.

O momento ficou registado em vídeo:

publicidade

Veja o vídeo:

Em menos de mês já é a segunda vez que operacionais de companhias chineses sofrem acidentes deste tipo. No final de outubro uma outra assistente de bordo chinesa da China Eastern Airlines também partiu vários ossos depois de uma queda da porta de uma aeronave.

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Carmelo Anthony

Aparelho transportava equipa de basquetebol Oklahoma City Thunder

publicidade

O avião em que seguia a equipa Oklahoma City Thunder, da NBA, colidiu no passado sábado contra um objeto não identificado. Os passageiros que seguiam a bordo da aeronave sentiram o impacto, mas referem a vários órgãos de comunicação social que não se aperceberam de qualquer perda de controlo do avião.

A equipa e restantes passageiros chegaram ao destino sem vítimas a registar, no entanto não é claro o que terá causado os danos no nariz do avião. A Delta Airlines, operadora do aparelho, acredita que um pássaro terá estado na origem do problema.

“O voo Delta 8935, operando de Minneapolis para Chicago-Midway, que levava o Oklahoma City Thunder, provavelmente encontrou um pássaro quando desciam para pousar em Chicago. A aeronave, um Boeing 757-200, aterrou em segurança, sem incidentes. Desde então, os passageiros desembarcaram, e a equipa de manutenção está a fazer uma avaliação. A segurança é prioridade para a Delta”, informou um porta voz da companhia, citado por um site desportivo brasileiro.

publicidade

Após o desembarque, vários atletas que competem numa das mais conhecidas ligas de basquetebol do mundo, partilharam fotos da frente do avião, onde é possível ver o nariz completamente amolgado.

publicidade

 

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Cláudia Paiva

Já não é a primeira vez que um incidente deste género acontece

publicidade

Uma chinesa de 76 anos foi detida no aeroporto de Anqing, na China, depois de atirar moedas para o motor do avião onde se preparava para embarcar. O incidente aconteceu no passado dia 19 de outubro e de acordo com o site Channel News Asia, que cita as autoridades locais, o objetivo da mulher era garantir um voo seguro.

De acordo com a mesma fonte as moedas foram lançadas durante o embarque, tendo algumas delas sido encontradas no solo, junto ao avião.

Embora tenha ficado sob custódia das autoridades não se sabe se a idosa enfrenta alguma acusação formal.

O avião acabaria por ficar retido no aeroporto para uma inspeção de segurança e os passageiros apenas chegaram ao destino no dia seguinte.

publicidade

Por estranho que possa parecer este não é um caso inédito. Já em junho uma outra idosa supersticiosa lançou moedas para o motor de um avião em Shangai.

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

texto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Pixabay

“Estamos a levar o incidente muito a sério”, afirma a companhia aérea

publicidade

Os pilotos de um A330 da Air Berlim estão a ser investigados depois de terem feito uma manobra considerada perigosa na aproximação ao aeroporto de Dusseldorf, na Alemanha. A manobra conhecia na aeronáutica como “arremetida” está prevista, mas apenas em momentos de emergência.

O momento ficou gravado em vários vídeos nos quais se pode observar o avião a fazer uma aproximação normal à pista. Mesmo na fase final os pilotos não concretizam a aterragem, fazendo subir de novo o avião enquanto o direcionam para a torre do controlo do aeroporto.

De acordo com o piloto do aparelho, citado pelo site Fortune, o objetivo era “deixar uma marca, um adeus digno e emocional” uma vez que aquele era um dos últimos voos da Air Berlim que declarou falência recentemente.

Já para a companhia aérea “na aviação, a segurança está em primeiro ligar. Estamos a levar o incidente muito a sério”, disse um porta-voz da Air Berlim.

publicidade

Citado pela Reuters, um comandante de outra companhia aérea explicou que “tomar a decisão de fazer uma arremetida, quando não é necessário, acrescenta um risco desnecessário”.

Dois dos vídeos publicados no Youtube mostram o sucedido e podem ser vistos aqui:

publicidade

A Air Berlim anunciou a sua falência em agosto e o fim de operação está previsto para o dia 28 de outubro, no entanto a maior companhia aérea alemã, a Lufthansa, vai comprar parte da operação da companhia de baixo custo.

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt