Notícias

texto e foto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Aero Icarus

Companhias de longo curso começam a apostar na cobrança de bagagens despachadas para o porão

autor Aero Icarus from Zürich, Switzerland

publicidade

Duas das principais companhias aéreas a operar no mundo, uma portuguesa e uma americana acabam de anunciar que vão começar a cobrar pela bagagem despachada em voos internacionais. A estratégia vai ao encontro das políticas de aproximação às companhias low cost e incidirá sobre a classe “económica básica”, presente na maioria das transportadoras e que se caracteriza pela inexistência de serviço de refeições a bordo ou escolha de lugar.

A primeira a anunciar a medida foi a americana Delta Airlines que a partir de abril de 2018 começa a cobrar 50 dólares pela primeira bagagem despachada para o porão e 100 dólares pela segunda. A medida vai apenas aplicar-se aos passageiros que viajam em “económica básica”.

A Air France/KLM vai seguir a mesma estratégia da Delta também em abril do próximo ano, de acordo com o Business Travel.

A partir de agora os passageiros terão que ter mais atenção às passagens que vão comprar, uma vez que um preço demasiado atrativo pode significar que a bagagem de porão não está incluída.

Para os passageiros para os quais não é relevante a bagagem extra, não haverá grandes diferenças.

A Air France/KLM e a Delta não são as únicas a aplicarem esta medida e por isso parece estar a tornar-se uma tendência.

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Dicas

texto e fotos Sara Luís
geral@w360.pt

Coimbra, Portugal

Como apaixonada por comida boa e barata senti uma lacuna enorme quando tentava procurar um restaurante bom e barato em Coimbra. Demorava horas e horas até decidir. Não havia um perfil online, um blog que me desse as novidades e o que de bom Coimbra tem. Então pensei, porque não eu?

Surgiu assim a minha página: Coimbra – bom e barato. Conseguem encontrá-la facilmente no Facebook com fotos e os respectivos preços. Uma página que foi crescendo e que me está a trazer muita alegria ao ver a proporção que está a tomar junto dos habitantes de Coimbra e não só.

Fui convidada pela página W360.PT para realizar um top 10 de restaurantes Bons e Baratos em Coimbra que apesar de ser uma tarefa difícil, aqui vai a lista:

 Pet & Tea 

Surgiu da conjugação de uma pessoa que amava gatos e outra que amava gastronomia. Este é o único cat cafe em Portugal. Aqui podem almoçar, lanchar mas também conviver com gatos. Este local possui 3 divisões: a sala de leitura, a sala de pastelaria e a sala dos gatinhos onde podem desfrutar da companhia dos animais residentes e até podem adoptar um novo membro para a família.
No Cat Café, por apenas 5€, oferecem uma bebida e a entrada ao jardim interior onde estão os gatos. As Crianças até aos 3 anos não pagam e até aos 12 anos pagam apenas 3,5€.

Rua João Cabreira, 4
 segunda a sábado: 9:00 às 20:00
239152679

publicidade

 Zé Manel dos Ossos

É a taberna mais conhecida pelos Conimbricenses e encontra-se na baixa da cidade. Um sítio pequeno, mas bastante acolhedor. Todas as paredes deste local contam uma história. Cada pessoa que vai lá deixa uma mensagem nas suas paredes, pondo-nos a ler aquelas mensagens durante toda a refeição. Conhecido pelos seus ossos do cachaço, cozidos e ligeiramente picantes. Um espaço que todos os estudantes deviam visitar e conhecer. Esta é uma casa que sempre sempre será parte da História de Coimbra.

 Beco do Forno, 12
 segunda a sábado: das 12:30 às 15:00 e das 19:30 às 22:00
 239 823 790

 Compostu Tavern

Nos Olivais encontrei este tesourinho. Um restaurante delicioso e bastante simpático, é conhecido pelas francesinhas e o seu molho. Sei que Coimbra já possui alguns restaurantes com boa classificação quanto às francesinhas, mas acreditem, têm de provar estas. Há francesinhas de porco, frango, perú, novilho, alheira, vegetariana e de mar. Além desta especialidade encontram pratos de comidas tradicionais cheios de sabor.

 R. Cap. Luís Gonzaga 27
 segunda a sábado: 18:00 às 1:00
 239 703 892

 Pizzaria Mia Bella

Restaurante Italiano onde a preparação da massa das pizzas é uma arte ancestral que se inicia com uma pré-fermentação a temperatura controlada, seguida de uma maturação de no mínimo 48 horas do empasto. O resultado final é uma base de pizza (Pisa) fina e crocante, perfumada como o melhor pão fresco acabado de sair do forno, leve e digerível. Maravilhoso. Muita gente desconhece esta informação, mas na quarta edição do Campeonato Português de Pizza, na categoria máxima do concurso, o Troféu Caputo foi para o João Paulo Antunes, da Pizaria Mia Bella.

 Rua Flávio Rodrigues, 57
 terça a sábado: 11:30 às 15:00 e das 18:30 às 23:00 | domingo: 11:30 às 15:00
 239 157 320

publicidade

 Azucar Mexicano

Restaurante com um ambiente que nos transporta até ao México. Ementa diversificada com pratos de cozinha mexicana, como nachos, quesadillas de frango e esguichos. Para beber podem optar pela minha bebida predileta, a Margarita.

 R. Angola lt 1 -1ª tras
 segunda a sexta: 12:00 às 15:00 e das 19:00 às 0:00 | sábado: 19:00 às2:00
 239 716 827

 La Vara

Em Coimbra há uma grande diversidade de Hamburguerias mas esta foi a escolhida devido à sua comida e espaço acolhedor, que marcam a diferença.
A carta chama-nos logo à atenção pelo tipo de hambúrgueres que há. O Classic +, com bacon e ovo estrelado, o Portobello de queijo da ilha (com um chutney de cebola) e o Pork & shrimp (carne de porco, camarão e maionese de alho). Uma delícia. Além disso estes hambúrgueres vêm acompanhados por umas excelentes batatas fritas que têm um sabor único e especial.

 Av. João das Regras 52
 terça a sábado: 12:30 às 15:00 e das 19:00 às 23:00 | domingo: 13:00 às 16:00
 239 151 690

 Home True Sushi

Os restaurantes de sushi têm crescido a um ritmo exorbitante em Coimbra. Encontramos restaurantes de sushi a vários preços e de várias qualidades em cada canto, mas eu elegi este. Porquê? Para mim este espaço é o melhor a nível de qualidade, espaço, simpatia e preço. Conseguimos comer um sushi de excelente qualidade a um preço bom. Home True Sushi é uma marca do grupo Everything About Sushi. É um conceito de restaurante de proximidade, também orientado para o serviço de take away e entregas ao domicílio. Com uma ementa cuidadosamente preparada e assinada pelo Chef Paulo Morais

 R. Almeida Garrett 9
 terça a sexta: 12:30 às 14:30 e das 19:30 às 23:30 | sábado: 19:30 às 23:30 | domingo: 19:30 às 22:30
 239 098 201

publicidade

 Cafetaria Museu da Ciência

O conceito de brunch já chegou a Coimbra. Podemos encontra-lo em poucos sítios, mas a Cafetaria Museu da Ciência é aquele que oferece um bom brunch a um excelente preço. Com um pé direito de quase 10 metros de altura e uma esplanada com vista para a cidade, serve esta refeição aos sábados e domingos e é de fazer crescer água na boca. Serve almoços todos os dias, com uma ementa variada de sumos naturais, sopas, sandes, saladas, massas e hambúrgueres, baseada nos produtos frescos que chegam diariamente do Mercado Municipal. Tem como ponto forte, a organização de eventos como casamentos e baptizados.

Largo Marquês de Pombal
 terça a domingo: 10:00 às 18:30
 916 675 533

 Novalis

“Melhor Gelataria de Coimbra”. Para mim é o melhor sítio de Coimbra para comer um bom gelado e um bom waffle. Os waffles são feitos no próprio espaço e têm um sabor completamente divinal. A oferta é vasta para os gulosos: 34 variedades de chocolate quente, crepes e gofres, bombons belgas artesanais e o chamado spaghetti gelado – um gelado que, ao passar numa prensa, fica com a forma do spaghetti, ganhando em cremosidade.

 Av. João das Regras 76
 todos os dias: 13:00 às 0:00

 Tapas nas Costas

As tapas têm surgido em vários restaurantes. São cada vez mais procurados e os restaurantes tentam dar ao cliente o que ele deseja, mas sem dúvida que o Tapas nas Costas sempre foi o melhor. Este restaurante encontra-se numa das zonas mais emblemáticas da cidade, sendo por isso bastante frequentado por turistas. Mal entramos deparamo-nos com um espaço completamente magnífico, possui uma sala interior muito bonita, enquadrada na antiga muralha da cidade de Coimbra.
Falando da comida, tem uma gastronomia óptima a um excelente preço. Tapas que valem a pena comer, experimentar e saborear. Comida completamente diferente do habitual que nos faz querer mais e mais. Tem uma carta variada com bastantes opções de tapas tanto nacionais como espanholas.

 R. Quebra Costas 19
 terça a sábado: 11:00 às 0:00 | domingo: 11:00 às 15:00
 239 157 425

publicidade
 

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção à autora: geral@w360.pt
Opinião

Diogo Pereiracrónica Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

Está a ler um artigo de opinião. O conteúdo é responsabilidade do autor.

foto Catherine Carvalho

A Ryanair não me deixou voar sentado ao lado dos meus amigos, havendo lugares disponíveis no avião.

publicidade

Notícias recentes chamaram a minha atenção para um problema que estava a afetar muitos passageiros que voam nos aviões da Ryanair. O problema não se pode considerar grave, mas cedo se percebeu que a companhia tinha encontrado uma nova estratégia para conseguir tirar mais dinheiro aos seus clientes.

Antes de avançar deixo claro que não considero justo o ódio de estimação que muitas pessoas gostam de nutrir pela Ryanair. E não considero esse ódio justo porque esta é a companhia responsável pela democratização de uma prática que antes era reservada a uma elite privilegiada: voar. Mas esse assunto podemos abordar numa outra altura, vamos ao que interessa: provar que a Ryanair está a dividir propositadamente os passageiros que viajam em grupo.

Recentemente a Maria, a Ana e o Pedro (vamos chamar-lhes assim para facilitar a explicação) decidiram viajar e a companhia escolhida foi a Ryanair.

O Pedro estava indeciso sobre se queria ou não fazer esta viagem e não quis comprar os bilhetes de imediato.

Com medo de perderem os preços vantajosos que a companhia oferecia, a Maria e a Ana decidiram reservar de imediato.

Umas horas mais tarde o Pedro chegou à conclusão de que queria mesmo fazer esta viagem e comprou bilhetes para o mesmo voo.

Uma vez que a Maria e a Ana reservaram os seus voos em simultâneo, foi-lhes atribuída uma reserva com o mesmo número que, mais tarde, lhes possibilitaria fazer o check-in ao mesmo tempo.

Como o Pedro fez a sua reserva depois da Maria e da Ana, o seu número de reserva era diferente.

Chegado o dia de fazer o check-in online a Maria e a Ana que tinham a mesma reserva ficaram em filas diferentes do avião, já o Pedro que tinha uma reserva independente ficou na mesma fila que a Maria.

Significa isto que, embora houvessem dois lugares muito próximos, o check-in da Ryanair separou duas passageiras cujo sistema sabia que viajavam juntas (tinham feito a reserva em simultâneo) e colocou um passageiro que viajava sozinho ao lado de uma delas.

Para que fique claro, a Maria e a Ana terminaram o check-in uns minutos antes de o Pedro começar.

Embora use nomes fictícios para a explicação, esta trata-se de uma situação bem real que se passou comigo exatamente assim e mais dois amigos com quem viajarei brevemente.

Este caso levanta duas possibilidades: ou o sistema de check-in da companhia irlandesa está totalmente descalibrado ou esta é uma prática que a companhia leva a cabo com o objetivo de “angariar” mais uns euros com a reserva de lugar. Sim, quando preenche os dados para obter o cartão de embarque é avisado de que se quer ficar ao lado dos seus companheiros de viagem, tem que pagar mais pela seleção personalizada de lugar.

publicidade

Concluído o processo e com os cartões de embarque já impressos resolvi ainda fazer um último teste: simular uma nova reserva para o voo em causa e entrar na secção de escolha de lugares para perceber quais os assentos já preenchidos no voo que me vai transportar.

Este era o cenário:

Ou seja, retirando os lugares da frente do avião (Business Class) e os assentos nas filas das saídas de emergência (com mais espaço para as pernas e, por isso, mais caros) havia neste voo três possibilidades de a Maria e a Ana voarem lado a lado e sete possibilidades de, pelo menos, voarem na mesma fila.

É ilegítimo a Ryanair querer ganhar mais dinheiro? Claro que não. Acho até que sendo os voos tão baratos, a companhia tem que tentar rentabilizar tudo o que conseguir. Quer seja vendendo perfumes, cobrando uma fortuna por uma garrafa de água ou enchendo os nossos ouvidos com sorteios de rifas durante todo o tempo de viagem.

O que não me parece muito correto é justificar a dispersão de passageiros com as elevadas taxas de ocupação dos aparelhos. Porque neste caso em concreto só a deliberada vontade de não querer fazer de outra forma justifica este resultado.

Michael O’Leary, presidente da companhia, nunca foi de rodriguinhos por isso não lhe deve custar nada vir dizer que “se quiserem voar juntos, cheguem-se à frente, paguem e reservem os lugares antecipadamente”.

É aborrecido voar ao lado de desconhecidos quando poderia ter os meus amigos ali ao lado para pedir o jornal ou a almofada insuflável emprestados, mas não é por isso que vou deixar de voar com a Ryanair que tem preços competitivos e que, como disse no começo deste texto, é a grande responsável pela democratização da aviação.

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt

Notícias

texto e foto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Pixabay

A British Airways, que vai começar a aplicar a medida, está a ser fortemente criticada.

publicidade

A partir do próximo dia 12 de dezembro os passageiros que tiverem adquirido bilhetes para voos da British Airways vão ser divididos tendo em conta o valor que pagaram pelas passagens. Numerados de 1 a 5, os viajantes de primeira classe vão ver-lhes atribuído o número 1, já os que compraram os bilhetes mais baratos terão o número 5.

Com esta “categorização” será dada prioridade de entrada no avião aos passageiros com o número 1, seguindo-se os restantes e sendo os contemplados com o número 5 os últimos a entrar.

A British Airways pretende com esta medida simplificar o embarque, mas já começaram a chover críticas que acusam a companhia britânica de criar um sistema de classes.

A companhia garante, no entanto, que as prioridades a grávidas, idosos e mães ou pais com crianças de colo serão respeitadas independentemente do número atribuído a estas pessoas.

«Estamos sempre a analisar diferentes formas de melhorar e simplificar a experiência do aeroporto para os nossos clientes. No próximo mês, vamos introduzir novos procedimentos de embarque para acelerar o processo e torná-lo mais fácil para os passageiros», disse um porta-voz da companhia, citado pela agência Efe. «Este método já é usado há anos por companhias aéreas de todo o mundo, como a American Airlines, Iberia e Qatar», referiu.

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

Diogo Pereiratexto foto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto RHL Imagens

Mais de cem mil pessoas ficaram sem voo de regresso a casa


Monarch Airlines anunciou falência nesta segunda feira e cancelou todos os voos afetando mais de 300 mil reservas. Cerca de 110 mil pessoas ficaram sem voos de regresso a casa, dados divulgados pela Reuters que cita a autoridade britânica de aviação civil.

Com o objetivo de garantir que nenhum passageiro fica em terra o governo britânico já iniciou aquilo a que se tem estado a chamar de maior operação de repatriamento em tempo de paz. Foram alugados mais de 30 aviões e enviados e enviados representantes para vários aeroportos para onde a companhia voava.

De acordo com informações de Manuela Romano de Castro, representante da embaixada do Reino Unido em Portugal dadas ao Público, estão garantidas 11 ligações até 15 de outubro com o objetivo de substituir as canceladas pela companhia britânica. Estas ligações servirão também para transportar vários britânicos que estão em Portugal e ficaram sem voo de regresso ao Reino Unido. Desta forma todos os passageiros afetados terão os seus voos sem atrasos significativos e sem necessidade de ficarem alojadas nos locais onde ficaram retidas.

Também em declarações ao Público a ANA, entidade gestora dos aeroportos nacionais mostrou-se “comprometida na implementação das alterações necessárias para executar o plano e encaminhar os passageiros afetados em todos os aeroportos da rede ANA.”

“Lamento muito que milhares de pessoas enfrentem agora o cancelamento das suas férias ou viagens, possíveis atrasos no regresso a casa e enormes incómodos devido ao nosso fracasso”, diz Airlines, Andrew Swaffield, presidente executivo da Monarch.


Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

Diogo Pereiratexto foto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

Extensão de cancelamentos só afeta Portugal numa rota.


A Ryanair anunciou ontem que vai cancelar mais voos entre outubro e março, prolongando assim o primeiro período interrupções que terminaria no final de setembro. Com esta medida a companhia vai alterar os planos a mais de 400 mil passageiros, no entanto, em Portugal, há apenas uma rota afetada: Faro – Newscastle.

A companhia vai cancelar 34 rotas em toda a Europa porque vai operar com menos 25 aeronaves e isso fará com que a empresa tenha “um crescimento mais lento”, refere o presidente, Michael O’Leary.

O presidente da companhia refere ainda que todas as pessoas afetadas vão ter direito a reembolsos ou remarcação de lugares, assim como voucheres que vão de €40 a €80, consoante os voos cancelados tenham sido apenas de ida ou de ida e volta.

De acordo com o diário espanhol El País, a Ryanair anunciou o prolongamento de voos até março de 2018, prolongando assim a data limite primeiramente anunciada que se fixava em outubro.

De acordo com o mesmo comunicado os passageiros devem começar a ser informados sobre os cancelamentos que os afetam nos próximos dias.

De acordo com a companhia serão afetados cerca de 400 mil passageiros e a extensão deste período visa desacelarar o crescimento da companhia para “evitar novos cancelamentos no futuro”, lê-se no comunicado citado pelo El País.

A companhia irlandesa informa ainda que está com menos 25 aviões neste inverno, de uma frota de 400, e que por isso é preciso reajustar horários de rotas e cancelar outras, mas “muitos destes voos têm zero reservas neste momento”, lê-se.


Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

Diogo Pereiratexto e foto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

Os passageiros passam a poder enviar a mala de cabine para o porão sem custos associados.

Os passageiros da Ryanair que quiserem transportar uma mala pequena na cabine do avião vão ter que pagar mais cinco euros pela tarifa de embarque prioritário. A alternativa é enviar a mala para o porão sem custos associados.

De acordo com notícia do The Guardian, os passageiros que optarem por pagar os cinco euros para terem embarque prioritário vão poder transportar a uma mala de pequenas dimensões na cabine do avião, assim como uma mochila ou carteira.

Kenny Jacobs, diretor de marketing da Ryanair, citado pelo The Guardian, justifica a medida com a necessidade de apressar o embarque, uma vez que a companhia tem registado atrasos significativos por causa da falta de espaço dentro do avião para todas as bagagens.

“Um determinado número de pessoas leva sempre dois sacos grandes, ocupando o espaço dos outros. Julgam que conseguem safar-se com isso e, geralmente, conseguem, mas não queremos ter de voltar a policiar o tamanho das malas na porta de embarque”, refere Kenny Jacobs.

Na realidade já eram frequentes os voos em que a Ryanair obrigava os passageiros a enviarem as suas malas de cabine para o porão do avião. Esta medida é apenas uma formalização e extensão do procedimento a todos os voos, dando aos passageiros a possibilidade de escolherem se querem ou não viajar com a sua mala.

A Ryanair apresentou ainda uma atualização de preços para as malas de porão. Até aqui custava €35 transportar uma mala de 15kg, a partir de 1 de novembro o valor baixa para os €25 e o peso da mala pode chegar aos 20kg.

Também a Easyjet anunciou novas medidas respeitantes ao transporte de malas de cabine. Saiba mais aqui.

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

Diogo Pereiratexto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Curimedia

Os passageiros que aderirem a esta nova opção têm entrada prioritária no avião.

A Easyjet acaba de lançar a opção “mãos livres” que permite aos passageiros despacharem as suas bagagens de mão nos balcões de check-in dando-lhes prioridade no embarque, garantindo que estas serão as primeiras a entrar no tapete rolante à chegada e autorizando ainda o transporte de compras feitas nas lojas do aeroporto. A opção custa €5.

Esta é uma opção que está em vigor desde o início da primavera nas viagens com origem em França e, de acordo com a companhia britânica, os passageiros aderiram tão bem (com mais de 9.000 passageiros a experimentá-la) que a Easyjet decidiu estende-la ao resto das rotas.

Desta forma os passageiros passam a poder transportar produtos que são proibidos na cabine do avião sem terem que pagar o valor correspondente a uma mala de porão de 23kg.

No momento do check-in serão dados pequenos sacos de plástico para transporte de objetos pessoais e os passageiros não terão que passar a mala pelos canais de segurança.

O “Mãos Livres” confere ainda entrada prioritária no avião a seguir aos passageiros com Speedy Boarding.

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

Diogo Pereiratexto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Robert Nyman

A EGEAC anunciou a medida aplicada pela Camara Municipal de Lisboa que entrou em vigor no dia 14 de agosto de 2017.

Desde o dia 14 de agosto de 2017 que há mais dias nos quais se pode entrar gratuitamente em muitos monumentos e museus de Lisboa, mais precisamente nas estruturas geridas pela EGEAC, a empresa de gestão de espaços culturais da Camara Municipal de Lisboa.

No Castelo de São Jorge pode entrar sem pagar qualquer residente em território nacional durante todos os domingos e feriados entre as 9h e as 14h.

Também no Padrão dos Descobrimentos poderá entrar gratuitamente nos domingos e feriados entre as 10h e as 14h (residentes em Portugal).

Nos núcleos do Museu de Lisboa – Palácio Pimenta, Santo António, Teatro Romano, Torreão Poente do Terreiro do Paço e Núcleo Arqueológico da Casa dos Bicos -, Museu Bordalo Pinheiro, Museu do Aljube, Museu do Fado, Museu da Marioneta, Casa Fernando Pessoa e Atelier-Museu Júlio Pomar a entrada já era gratuita aos domingos de manhã, sendo agora estendida aos feriados entre as 10h e as 14h.

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

Diogo Pereiratexto e foto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Curimedia

Companhia low cost quer contratar pelo menos 1200 novos tripulantes.

A Easy Jet anunciou que vai levar a cabo o maior processo de recrutamento da sua história. São mais de 1200 os novos tripulantes que se vão juntar aos já contratados, em 2017, 450 pilotos.

As vagas, dia a companhia, serão para a quase totalidade das 28 bases que tem em operação na Europa e os candidatos terão que superar uma série de desafios de pre-curso online e, se forem selecionadas têm uma segunda fase de três semanas em que farão demonstrações práticas em áreas como procedimentos de segurança, segurança na aviação e primeiros socorros. As candidaturas podem ser feitas aqui.

Já no inicio de 2017 a companhia britânica tinha aberto um concurso externo para contratar 450 pilotos e um concurso interno para dar oportunidade aos seus co-pilotos de alcançarem o cargo de comandante.

Com esta ação a EasyJet parece estar em franco crescimento. A companhia opera 802 rotas em 132 aeroportos de 31 países.

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt