Notícias

Diogo Pereiratexto e foto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Curimedia

Companhia low cost quer contratar pelo menos 1200 novos tripulantes.

A Easy Jet anunciou que vai levar a cabo o maior processo de recrutamento da sua história. São mais de 1200 os novos tripulantes que se vão juntar aos já contratados, em 2017, 450 pilotos.

As vagas, dia a companhia, serão para a quase totalidade das 28 bases que tem em operação na Europa e os candidatos terão que superar uma série de desafios de pre-curso online e, se forem selecionadas têm uma segunda fase de três semanas em que farão demonstrações práticas em áreas como procedimentos de segurança, segurança na aviação e primeiros socorros. As candidaturas podem ser feitas aqui.

Já no inicio de 2017 a companhia britânica tinha aberto um concurso externo para contratar 450 pilotos e um concurso interno para dar oportunidade aos seus co-pilotos de alcançarem o cargo de comandante.

Com esta ação a EasyJet parece estar em franco crescimento. A companhia opera 802 rotas em 132 aeroportos de 31 países.

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

Diogo Pereiratexto e foto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Curimedia

Easy Jet queria vir para Portugal, mas fez uma exigência que a ANAC não quis conceder

A Easy Jet está à procura de um estado membro da UE para poder instalar a sua sede europeia. A iniciativa surge porque a companhia é de nacionalidade britânica e, com o Brexit, precisa de um novo certificado de operação aérea na União Europeia. 

Com esta ação a Easy Jet não vai abandonar o Reino Unido, mantendo no país a maioria da sua operação. A nova sucursal vai servir apenas de plataforma onde a companhia terá registados alguns aviões da sua frota, passando estes a ostentar a bandeira do estado membro que os acolher.

De acordo com o Diário de Notícias a companhia britânica estaria fortemente inclinada a instalar a nova sede em Portugal ou Áustria, sendo Portugal o favorito. No entanto uma das condições impostas pela Easy Jet pôs fim às negociações, sendo praticamente certo que o país escolhido será a Áustria.

Para se radicar em Portugal, a Easy Jet pediu à Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC), que cedesse a sua posição de regulador à autoridade do seu país de origem. Na prática a Easy Jet queria continuar a responder perante o regulador da aviação britânico, mesmo estando a operar em Portugal. A ANAC considerou que esta era uma linha vermelha que não poderia ser ultrapassada e pôs fim ao processo de negociação.

O processo de criação de uma sede da Easy Jet na União Europeia deve demorar um ano a ser concluído e a companhia estima custos na ordem dos dez milhões de euros. A operação está a ser realizada agora porque a empresa “não se pode dar ao luxo de esperar para ver o que acontece com o Brexit”, referiu Carolyn McCall, presidente da Easy Jet.

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Notícias

Diogo Pereiratexto e foto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

São vários os destinos que a transportadora irlandesa apresenta a partir de €9,99

A Ryanair acaba de disponibilizar 250 mil lugares em voos para destinos europeus com preços a começarem nos €9,99. A campanha que começa hoje, 11 de julho, termina no próximo dia 14 e diz respeito a viagens nos meses de outubro e novembro.

Os destinos com preços a começarem nos €9,99 incluem destinos como Paris, Luxemburgo ou Ponta Delgada, a partir de Lisboa. Birmingham, Frankfurt ou Bruxelas, a partir do Porto e Bristol Newscastle ou Londres a partir de Faro

Para ver todos os destinos desta campanha aceda aqui.

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt