Roteiros

claudia-paivatexto e fotos Cláudia Paiva
claudiapaiva@w360.pt

vídeos Diogo Pereira

São Miguel, Açores, Portugal

Bem vindo a São Miguel, a maior das nove ilhas que compõem o arquipélago dos Açores. Neste roteiro vou dar-lhe umas dicas para que se possa perder pela ilha verde onde moram as vacas mais felizes do mundo, mas para que também possa encontrar os restaurantes com uma das mais singulares gastronomias do país.

Este é claramente um destino para quem gosta de se encontrar com a natureza. Vamos trocar os museus pelos campos de cultivo de alguns dos produtos de excelência que chegam às mesas de milhões de consumidores. Como o chá, o queijo ou a fruta (os ananases!).

Aproveite para limpar os pulmões e a alma. Está no paraíso!

São Miguel
 Portugal
Português
 137 699 hab. (2011)
Euro (EUR)
 GMT -1
Europeias, 2 pinos
+351
 112
As temperaturas médias de inverno, entre dezembro e março, não descem além dos 16ºC, no entanto a pluviosidade aumenta durante estes meses. No verão as temperaturas diurnas centram-se por volta dos 25ºC (entre maio e setembro) e geralmente não são inferiores a 18ºC durante a noite. Qualquer altura é boa para visitar São Miguel, mas não dispense o guarda chuva porque num só dia pode encontrar o sol mais radiante como logo a seguir pode cair uma grande chuvada.

Dia 1

Portas da Cidade de Ponta Delgada
11:00 – 12:00


Praça Gonçalo Velho

A primeira coisa que vai ter que fazer quando chegar ao aeroporto de Ponta Delgada é tratar de um automóvel. A cidade é pequena sendo que a forma mais simples e rápida para se deslocar é de automóvel.

Ponta Delgada modernizou-se mas mantém as suas ruas estreitas, repletas de comércio tradicional, mercados e igrejas. As Portas da Cidade dão-lhe as boas-vindas. Estão localizadas no centro histórico e foram construídas em 1783 como símbolo da primitiva defesa terrestre da cidade. Do lado esquerdo vai encontrar a Igreja Matriz de São Sebastião.

Ilha Verde Rent a Car é uma das ofertas mais económicas para alugar carro. No aeroporto tem um balcão para tratar dos documentos necessários. O meu conselho é reservar a sua viatura antecipadamente através do site ou do telefone.
aceda ao site
 917 761 666

Quinta dos Açores 
12:32 – 14:00


Caminho da Levada 134, Fajã de Baixo
a partir de €6,5
segunda a sexta: 10:00 às 22:00 | sábado e domingo: 9:00 às 22:00

aceda ao site

Comece esta viagem por uma das melhores coisas que a ilha pode oferecer: uma boa refeição. A minha sugestão é ir almoçar à Quinta dos Açores e escolher a Açorianinha.

Prove a Açorianinha

Feita com Bolo Lêvedo e um molho especial à base de vinho do Porto, vai lembrar-se da Francesinha do Porto, mas esta tem um sabor mais forte.

Para sobremesa escolha os gelados produzidos nos açores e desfrute da vista para os pastos verdejantes onde moram as vacas mais felizes do mundo.

 

Perca-se pelos campos onde se cultiva o Chá Gorreana

Fábrica de Chá Gorreana
14:30 – 15:40


Maia
 gratuito
 segunda a sexta: 8:00 às 19:00 | sábados e domingos: 9:00 às 19:00

 Na loja da fábrica pode comprar chá a partir de €0,94

aceda ao site

O Chá Gorreana, além de ser um dos chás pretos e verdes mais conhecidos de Portugal, é famoso também por ser produzido na mais antiga fábrica de chá da Europa, em actividade desde 1883.

A produção ainda é feita de uma forma tradicional e com maquinaria simples. É um processo tão natural que ainda hoje os ramos que vêm presos às folhas de chá, são retirados à mão por um grupo de mulheres.

Durante a visita à fábrica aprendemos que para cada processo de produção de chá é preciso ter em atenção a idade das diferentes folhas uma vez que estas produzem composições químicas diferentes, que vão dar origem aos diferentes sabores e aromas.

A visita a todos os espaços é gratuita e no final tem direito a uma degustação de chá à escolha. Se ficar rendido, a loja espera-o a saída.

Embalagem de chá verde da Gorreana

 

Parque Natural da Ribeira dos Caldeirões
16:15 – 17:15

Estrada Regional, Achada

Situado no concelho do Nordeste, depois de passar por longos mantos verdes e muitas curvas chegará à Ribeira dos Caldeirões. O som da queda da água vai leva-lo rapidamente ao seu destino.

Ficará seguramente durante vários minutos a contemplar a queda de água e a tranquilidade da natureza.

Ao longo do parque observe os diversos moinhos de água, visite o Museu Etnográfico e as antigas casas de moleiro, hoje transformadas em turismo rural e lojas de artesanato.

O espaço conta com serviços de cafetaria, um parque de merendas preparado com todo o equipamento necessário para fazer assados e ainda um parque infantil.

Miradouro de Santa Iria
17:00 – 17:15


Ribeira Grande

Antes de regressar ao centro de Ponta Delgada, apreciar a vista de diferentes pontos da ilha é obrigatório. Se tiver pouco tempo o difícil vai ser controlar-se para não parar em todos. A minha sugestão é o Miradouro de Santa Iria, situado perto da aldeia de Porto Formoso, nos arredores da cidade de Ribeira Grande. O miradouro espelha bem a verdejante beleza da magnífica ilha de São Miguel, rodeada pelo vasto azul do Oceano Atlântico.

Existem cerca de 60 miradouros ao longo de toda a ilha, aproveite tempo e pare naqueles que forem mais próximos do seu percurso

Restaurante da Associação Agrícola de São Miguel
20:30 – 23:00

Campo de Santana (recinto da feira), Ribeira Grande
a partir de €16
todos os dias: 12:00 às 23:00

aceda ao site

Para terminar o dia a minha recomendação é um jantar no restaurante da Associação Agrícola de São Miguel. Um espaço amplo e harmonioso é conhecido por servir os melhores bifes de vaca num ambiente acolhedor e com um atendimento rápido e simpático.

Um dos melhores bifes de vaca de São Miguel

 

Dia 2

Plantação de Ananases Dr. Augusto Arruda
09:00 – 09:45


Dr. Augusto Arruda, Fajã de Baixo
 gratuito
 abril a setembro: todos os dias – 09:00 às 20:00 | outubro a março: todos os dias – 09:00 às 18:00

aceda ao site

Na Fajã de Baixo, as Estufas e Plantações de Ananases são paragem obrigatória. Inserida numa antiga quinta de laranjas, a Plantação de Ananases Augusto Arruda foi criada no início do século XX.

Ao longo do percurso podemos observar os diferentes momentos do desenvolvimento da planta que precisa de dois anos para crescer e dar fruto.

Hoje a Plantação de Ananases Augusto Arruda conta com mais de 100 anos de História e com milhões de quilómetros percorridos por alguns dos frutos ali produzidos que são exportados para todo o mundo. No final pode provar o licor de ananás, uma receita da família e exclusiva da Plantação.

No final da visita à Plantação de Ananases Augusto Arruda aproveite a loja para comprar um licor ou uma compota feitos com os ananases da quinta.

Lagoa do Fogo
10:00 – 10:30

Ribeira Grande

De seguida vá em direcção à Lagoa do Fogo, situada numa posição central da ilha. A caldeira vulcânica, onde se encontra a lagoa, corresponde ao colapso da cratera do estrato-vulcão do Fogo.

Enquanto estiver em São Miguel não vai conseguir deixar de se surpreender com as paisagens deslumbrantes que vai encontrar

Furnas
11:30 – 12:00

Furnas
€1

 O cheio a enxofre sente-se em quase toda a zona envolvente do parque, mas só é intenso próximo das furnas. Se fôr sensível, pode não se aproximar muito, mas não deixe de entrar

Vir aos Açores é uma experiência gastronómica única, só aqui consegue comer o cozido feito pelos vapores quentes das furnas de origem vulcânica. Sugiro que visite as Furnas antes do almoço: é por esta hora que os vários restaurantes das redondezas começam a preparar o cozido. Ver como se faz o cozido é uma experiência muito olfativa. Se fôr sensível a cheiros nauseabundos, prepare-se. O que vai sentir vai será um cheiro muito intenso a enxofre, mas uns minutos depois de lá estar, torna-se suportável.

Fique atento ao percurso de carro. Vai passar pela “Casa de Cabeça para Baixo” que é um edifício da empresa de electricidade EDA. Tente descobrir se há algo de errado com esta construção…

O Miroma
13:00 – 14:00


Dr. Frederico Moniz Pereira 15, Furnas
Cozido das Furnas a partir de 15€
 quinta a terça: 12:00 às 15:00 e 19:00 às 00:00 | quarta: fechado

Agora que já sabe o que o cozido tem de especial o melhor mesmo é saborea-lo! Escolhemos o restaurante O Miroma, localizado perto das Furnas. No caminho para lá ainda conseguimos comprar Bolo Lêvedo para o lanche.

Muitos legumes, carne e arroz. Assim é servido o famoso cozido das furnas. O sabor é maravilhoso.
Bolos Lêvedos Rosa Quental. Descore este nome porque é um dos melhores lugares para comprar esta iguaria. São feitos de forma artesanal e vendem-se numa lojinha à beira da estrada, bem perto do Restaurante O Miroma

Poça da Dona Beija
14:30 – 17:00


Terreiro 11, São Roque
adultos: €4 | crianças até seis anos: €3,5
 todos os dias: 7:00 às 23:00

 A piscina mais pequena tem 8o cm de profundidade e a maior 1,30m. A temperatura da água atinge os 39ºC

aceda ao site

Aproveite  a tarde para usufruir das águas quentes e sulfurosas da Poça da Dona Beija. Uma nascente pública onde a água quente cai nas diferentes piscinas de tamanho e temperatura diferentes e num espaço rodeado pela natureza.

Na entrada vai receber um cesto de plástico para colocar a sua roupa e objectos pessoais, pode levar o fato de banho e trocar-se nos  balneários.

Os balneários não têm cacifos por isso evite levar objetos demasiado valiosos.

Cais 20
20:00 – 22:30

Terreiro 11, São Roque
a partir de €20 por pessoa
todos os dias: 12:00 às 05:00

aceda ao site

Lapas, amêijoas, pão com alho e uma carta de marisco para passar o resto da noite. Por norma está cheio, deve reservar com antecedência. O restaurante fica junto ao mar e pode aproveitar para dar um passeio.

Não saia do Cais 20 sem provar as Lapas

Baía dos Anjos
22:30 – 00:00

Portas do Mar, loja 22, Ponta Delgada
 todos os dias: 22:00 às 4:00

aceda ao site

Para passar o resto da noite, a minha sugestão é o bar Baía dos Anjos. Fica nas Portas do Mar e tem uma vista magnífica sobre a baía. Ideal para beber um copo ou tomar um café.

Alguns apartamentos de Ponta Delgada têm taxas de limpeza que não são incluídas no preço de reserva do Booking.com e de outras plataformas online. Fique atento porque estes valores podem rondar os €30 e são obrigatórios.

DIA 3

Mercado Municipal de Ponta Delgada
 09:30 – 10:30

Rua do Mercado, Ponta Delgada
segunda a quinta: 7:00 às 18:00 | sexta: 7:00 às 19:00 | sábado: 7:00 às 14:00 | domingo: fechado

Comece o dia a visitar o Mercado Municipal de Ponta Delgada onde pode comprar as frutas e produtos típicos da região.

No Rei dos Queijos vai conseguir comprar todos os queijos que são produzidos nas ilhas açorianas e também o chá Gorreana, o Bolo Lêvedo, as conservas, as compotas, os licores e vários vinhos.

 

O quadro vivo dos Açores que impressionou a corte e impressiona o mundo, a Lagoa das Sete Cidades

Lagoa das Sete Cidades
11:30 – 12:00

 sete cidades

É considerada uma das sete maravilhas naturais de Portugal e até podia ter classificação semelhante mundial. A Lagoa das Sete Cidades é uma das paisagens mais deslumbrantes que alguma vez pode ver. A ponte divide duas grandes lagoas que têm duas cores diferentes. Uma azul e a outra verde.

É nos Açores que vivem as vacas mais felizes do mundo. É impossível não se cruzar com elas durante a sua viagem

O melhor lugar para apreciar todo o esplendor desta maravilha da natureza é a Vista do Rei. Assim se chama porque o Rei D. Carlos e a Rainha D. Amélia visitaram o local e 1901 e ficaram deslumbrados.

 

Monte Palace
12:40 – 13:30

Vista do Rei, Sete Cidades
gratuito

O Monte Palace não é exatamente um monumento. Trata-se de um edifício abandonado e muito degradado. Circular no seu interior pode ser arriscado uma vez que o pavimento está cheio de destroços e há muitos acabamentos do teto que estão em fase muito avançada de degradação e podem cair. Os fossos dos elevadores também não têm proteções. É aconselhável que circule com muita precaução no seu interior e, se viajar com crianças, não é aconselhável que entre no edifício.

Com uma vista privilegiada para a Lagoa das Sete Cidades, o Monte Palace foi o primeiro hotel de cinco estrelas nos Açores, inaugurado em 1984. Com mais de 90 quartos, dois restaurantes, bares e até uma discoteca este foi uma das mais reputadas unidades hoteleiras da época.

No entanto o empreendimento tinha gastos excessivos e não recebeu hóspedes em número suficiente para pagar a dívidas. Menos de dois anos depois de ser inaugurado fechou as portas.

Até 2010 teve guardas no local, mas a partir daí ficou sem vigilância, foi vandalizado e hoje é uma grande ruína transformada em ponto turístico.

Aquele que chegou a ser um dos mais luxuosos hotéis do mundo é hoje uma ruína

O W360.PT entrou no Monte Palace. Veja o vídeo aqui:

cropped-W_MINIATURA.pngMonte Palace, o hotel abandonado dos Açores

Restaurante Lagoa Azul
14:00 – 15:00

Caridade 18, Sete Cidades
a partir de €12
 todos os dias: 7:00 às 23:00

Antes de abandonar os Açores não perca mais uma oportunidade para saborear uma das melhores gastronomias de Portugal. Sugiro o restaurante Lagoa Azul. Opte pelo buffet se fôr num dos dias em que é servido ou então despeça-se da melhor carne de vaca que alguma vez já comeu.

Para todos os voos com origem em Portugal continental existe a possibilidade de obter uma ligação para qualquer uma das restantes oito ilhas sem custos adicionais. Saiba mais aqui.

Como viajar até Ponta Delgada?

 Ryanair
a partir de €60 (ida e volta)
Reservar no Ryanair.com

A Ryanair tem dois voos diários diretos de e para Ponta Delgada a partir de Lisboa e um voo diário direto a partir do Porto.

TAP
a partir de €64 (ida e volta)
Reservar no Flytap.com

A TAP tem pelo menos dois voos diários diretos, com origem em Lisboa, para Ponta Delgada. Também pode partir do Porto ou Faro, fazendo escala em Lisboa.

Azores Airlines (SATA)
a partir de €90 (ida e volta)
Reservar no Azoresairlines.pt

A Azores Airlines (nova marca do grupo SATA) voa diretamente para Ponta Delgada a partir de Lisboa e do Porto.

Easyjet
a partir de €62 (ida e volta)
Reservar no easyjet.com

A companhia de baixo custo Easyjet voa quatro vezes por semana no percurso Lisboa – Ponta Delgada – Lisboa.

Onde dormir em Ponta Delgada?

 Hotel Alcides  .
 Rua Hintze Ribeiro 61-77
a partir de €70/pessoa (noite)
8,7 (Fabuloso no Booking.com)
Reservar no Booking.com

 Azor hotel  .
 Avenida Dr. João Bosco Mota Amaral
a partir de €162/pessoa (noite)
9,3 (soberbo no Booking.com)
Reservar no Booking.com

 Out Of The Blue
 Rua da Boavista 38
a partir de €19/pessoa (noite)
9,5 (excepcional no Booking.com)
Reservar no Booking.com

Se viajar para Ponta Delgada durante um fim de semana gasta cerca de €250 por pessoa

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção à autora: claudiapaiva@w360.pt
Lugares

Diogo Pereiratexto, fotos e vídeo Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

Lisboa, Portugal



 

Sabia que em 2006 Plutão perdeu o estatuto de planeta? Ou que 2005 foi o ano em que o Protocolo de Quioto entrou em vigor? Sabia que em 1989 foi derrubado o muro de Berlim? O buraco na camada do ozono foi descoberto em 1985, ainda se lembrava?

O Mundo Fantástico da Sardinha Portuguesa
O Mundo Fantástico da Sardinha Portuguesa, no Rossio

Estas e outras efemérides são o complemento à ideia principal d´O Mundo Fantástico da Sardinha Portuguesa, onde se vendem latas de sardinha numeradas desde o ano de 1916.

Fazendo as contas, há 101 latas diferentes, mas o conteúdo é sempre o mesmo: 160 gramas de sardinha em azeite, uma especialidade portuguesa produzida pela Comur, a fábrica de conservas da Murtosa.

Para além do conteúdo, há outra coisa que é igual em todas as latas, o preço. São €5 para poder levar para casa uma lembrança de Portugal com o ano do seu nascimento, ou um ano que considere particularmente interessante.

O Mundo Fantástico da Sardinha Portuguesa é um autêntico isco para turistas. Quem passa no Rossio não lhe fica indiferente pelas cores e pela decoração. O circo chegou à cidade para ficar, mas não tem palhaços nem malabaristas. Tem antes uma roda gigante, com sardinhas. E um carrossel, com sardinhas.

O Mundo Fantástico da Sardinha Portuguesa
Lisboa, Portugal (Praça D. Pedro IV , 39)
 todos os dias – 10:00 às 22:00
aceda ao site

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Roteiros

claudia-paivatexto e fotos Cláudia Paiva
claudiapaiva@w360.pt

vídeos Diogo Pereira

Porto, Portugal

O roteiro que lhe trago é para a cidade do Porto, a segunda maior de Portugal e aquela a que chamamos de invicta. Do Porto temos a arquitectura de ferro, o Vinho do Porto, as peixeiras do Mercado do Bolhão e as francesinhas.

Para fazer este roteiro recomendo que ande a pé no primeiro dia, por isso leve calçado confortável para caminhar uns bons quilómetros. No segundo dia use o metro ou autocarro. Será a forma mais rápida e cómoda de se deslocar para os sítios que preparei para si.

Porto
 Portugal
 Português
 230.298 hab. (2012)
Euro
 GMT 0
 Europeias, 2 pinos
+351
 112
Durante os meses de verão o clima é quente e seco, sendo a melhor época para visitar a cidade. No inverno embora não haja muito frio, a probabilidade de chuva é bastante elevada. 

Dia 1

Estação de São Bento
 09:15 – 09:45

M São Bento
Praça de Almeida Garrett
Gratuito
 todos os dias: 5:00 às 1:00

aceda ao site

Das quatro maneiras de chegar à cidade do Porto (comboio, carro, avião ou autocarro) sem dúvida a mais bonita é pela estação ferroviária de São Bento. Local onde existiu o convento de São Bento de Avé-Maria.

No no início do século XX foi transformado pelo arquitecto Marques da Silva na estação que hoje conhecemos. Composta por elementos de vidro e ferro fundido, é no painel de azulejos, no átrio, que está a zona mais carismática: vinte mil azulejos cheios de história, pintados por Jorge Colaço e que ilustram a evolução dos transportes e cenas da vida quotidiana portuguesa.

Se optar por chegar ao Porto de comboio, saiba que o bilhete do comboio de longo curso é válido para fazer uma viagem desde a estação de Campanhã (onde vai desembarcar) até à estação de São Bento, no centro da cidade

 

Avenida dos Aliados
 09:55 – 10:20

Aliados
Av. dos Aliados

 

Percorra a rua Passos Manuel em direção à Avenida dos Aliados, o ponto mais central da cidade. Aqui vai encontrar a Câmara Municipal do Porto, bancos, cafeterias e vários hotéis.

Avenida dos Aliados, Porto
Estátua de D. Pedro IV na Avenida dos Aliados

 

 

Torre dos Clérigos
 10:30 – 11:00

M São Bento
Rua de São Filipe de Nery
crianças: gratuito | adultos: €4
 todos os dias: 09h00 às 19h00

Pode subir à Torre dos Clérigos durante a noite (entre as 19h00 e as 23h00) e desfrutar de uma vista única da cidade do Porto

 Há visitas guiadas, consulte o site para saber mais

aceda ao site

Suba à Torre dos Clérigos e tenha uma das melhores vistas áreas da cidade. São 75 metros e 225 degraus numa escada em espiral.

A igreja e a torre são do século XVIII e têm influências da arquitectura barroca. A autoria é do arquitecto Nicolau Nasoni.

Porto
Vista a partir da Sé Catedral

Pode aproveitar para passear no Jardim da Cordoaria e se gostar de fotografia aproveite para visitar o Centro Português de Fotografia que fica mesmo em frente aos Clérigos. É um espaço de referência para o tratamento antigo de fotografia e tem exposições gratuitas. Fica localizado na antiga Cadeia da Relação do Porto.

O conjunto arquitetónico dos Clérigos, considerado Monumento Nacional desde 1910 é, pela sua Igreja e pela sua Torre, um dos principais pontos de interesse e local de visita obrigatória para todos os que visitam a cidade do Porto.

 

Aproveite para acertar o seu relógio: está perante um dos mais pontuais do mundo

Loja A Vida Portuguesa
Escadaria da loja A Vida Portuguesa, com destaque para as Andorinhas de Bordalo Pinheiro

 

A vida Portuguesa
 11:05 – 11:30

São Bento
Rua Galeria de Paris, 20
 segunda a sábado: 10h00 às 20h00 | domingo e feriado: 11h00 às 19h00

aceda ao site

 

Sou suspeita por falar desta loja porque foi a primeira que conheci e fiquei logo rendida. A loja do Porto foi a segunda a ser construída em Portugal por Catarina Portas. O conceito é vender os melhores produtos típicos de Portugal, tão ligados à história do país que quando um português entra, lembra-se deles da casa da avó.

Loja A Vida Portuguesa
Artigos vendidos na loja A Vida Portuguesa

Vai encontrar marcas e produtos tradicionais com as embalagens características da época. O edifício foi da centenária loja Fernandes Mattos, antiga loja de tecidos. Quando subir a escadaria vai ver as famosas andorinhas de Bordalo Pinheiro, outra referência portuguesa.

 

Andorinhas de Bordalo Pinheiro
Andorinha de Bordalo Pinheiro

 

Livraria Lello
 11:30 – 12:00

São Bento
Rua das Carmelitas, 144
€5,50
 segunda a sexta: 10h00 às 19h30 | sábado e domingo: 10h00 às 19h00

 O valor que paga para entrar na Livraria Lello pode ser deduzido na compra de um livro

aceda ao site

Na direcção da Torre dos Clérigos, numa zona muito conhecida pelas vivências noturnas e pela restauração, vai encontrar a Livraria Lello. Conhecida por ser uma das mais belas do mundo, facto esse que se deve, em parte, à emblemática escadaria em madeira que tem no seu interior.

Livraria Lello, Porto
Escadaria da Livraria Lello

Desde de 2015 a entrada é paga, mas esse valor pode ser descontado numa compra. 

Se a fila para entrar estiver muito grande, dê um salto à Praça de Lisboa, uma zona comercial ótima para fazer compras.

 

 

Café Santiago
 12:30 – 13:00

M Bolhão
Praça de Parada Leitão, 45
a partir de €9
todos os dias: 11:30 às 23:00

aceda ao site

 

A minha sugestão é que para o almoço peça uma Francesinha, este que é um dos pratos mais típicos da invicta. É composta por pão, mortadela, salsicha, linguiça, bife de novilho, fiambre, queijo, ovo estrelado e um molho especial que é o segredo da casa e que faz toda a diferença entre uma boa e uma má Francesinha.

O café Santiago já ganhou vários prémios e certificados que comprovam a sua qualidade.

 

 

Majestic
 13:30 – 14:00

M Aliados
Rua Santa Catarina, 112
a partir de €3
 segunda a sábado: 09:30 às 24:00 | domingo: encerrado

aceda ao site

Atravesse uma das ruas do comércio mais populares, a rua de Santa Catarina e vá tomar um café no histórico Majestic que é considerado um dos mais emblemáticos espaços da cidade. Inaugurado em 1922 é um exemplo de Art Nouveau.

De uma coisa pode ter a certeza: vai ser servido  com charme e elegância. A minha sugestão é comer uma rabanada e beber um cálice do vinho do Porto.

Café Majestic
Café Majestic

 

Sé Catedral do Porto
 14:30 – 15:00

Terreiro da Sé
Gratuito
 Igreja: todos os dias – 09:00 às 19:00 | Museu e Claustros: todos os dias – 09:00 às 18:30

aceda ao site

A Sé do Porto foi construída entre os séculos XII e XVIII com estilo românico, tendo sofrido várias alterações ao longo dos anos. A visita é gratuita e pode conhecer a igreja e os claustros.

Sé Catedral, Porto
Sé Catedral

Aqui, aproveite para conhecer os cantos da cidade e desça em direcção à Ponte Dom Luís I. Vá pelo coração da cidade e conheça os portuenses, conhecidos por serem os portugueses mais simpáticos e afáveis.

 

Ponte Dom Luis I
 15:30 – 16:00

Avenida de Vímara Peres

A ponte sobre o Rio Douro, que liga a cidade do Porto a Vila Nova de Gaia, foi inaugurada 1888  e demorou sete anos a ser construída. Esta ponte é obra do arquiteto belga Théophile Seyrig que trabalhou com Gustavo Eiffel noutros projectos, numa época em que a arquitetura de ferro ganhava força em várias partes do mundo. Antes desta ponte, a travessia fazia-se através da Ponte Pênsil D. Maria II da qual só restam os pilares e a casa do guarda. Esteve em funcionamento durante 45 anos.

Ponte D. Luís, Porto

A ponte D. Luis I é composta por dois tabuleiros e é possível atravessa-la a pé. No verão é comum ver adolescentes a saltar da ponte para o rio, hábito que ficou imortalizado na curta-metragem Os Meninos do Rio, do cineasta espanhol Javier Macipe.

 

Caves Calém
 16:15 – 19:00

Avenida Diogo Leite, 344
€5
 maio a outubro: todos os dias – 10:00 às 19:00 | novembro a abril: todos os dias – 10:00 às 18:00

aceda ao site

Atravesse a ponte e visite uma das caves do Vinho do Porto. Não vai ser fácil escolher porque todas apresentam histórias diferentes. Mas descanse: qualquer uma inclui uma degustação no final da visita. Eu escolhi as caves Calém que produz vinhos desde 1859.

A visita percorre a história do vinho e da Região Demarcada do Douro, a mais antiga do mundo e classificada como Património Mundial da Humanidade. A visita tem início no museu e estende-se até às caves, tendo, como já lhe disse, a oportunidade de degustar dois cálices de um dos melhores vinhos do mundo.

Caves Calém, Porto
Vinho de reserva nas Caves Calém
Vinho do Porto
Vinho do Porto

Cais da Ribeira
 20:00 – 00:00

Ribeira

Para terminar o dia, a minha sugestão é um Jantar pela Ribeira. Escolha um restaurante qualquer e não se vai arrepender. Depois passe os olhos pelo Palácio da Bolsa, o Museu do Carro Elétrico ou o Museu do Vinho.

Porto
Ribeira

 

Porto
Rio Douro e Vila Nova da Gaia

Dia 2

Jardins e Palácio de Cristal
 09:30 – 10:30

Rua de D. Manuel II
Gratuito
 outubroa março –  8:00 às 19:00 | abril a setembro: 8:00 às 21:00

aceda ao site

Depois de o dia anterior ter deixado os seus pés a queixarem-se, aproveite para relaxar um pouco nos jardins do Palácio de Cristal onde terá uma bela panorâmica do rio Douro e o contacto com a natureza. O edifício que ali vai encontrar não é o verdadeiro Palácio de Cristal que por conta da sua estrutura frágil em vidro foi substituído pelo atual Pavilhão Rosa Mota, mantendo o objectivo de ser palco de eventos culturais e desportivos.

À sua volta tem um conjunto de jardins temáticos: Jardim das plantas Aromáticas, Jardim das Medicinais, Jardim do Roseiral e ainda o Jardim dos Sentimentos onde se encontra uma estátua de António Teixeira Lopes. Não perca também o Museu Romântico e o Solar do Vinho do Porto, espaço marcadamente romântico e recheado de espécies vegetais centenárias e exóticas.

Jardins do Palácio de Cristal
Jardins do Palácio de Cristal e Pavilhão Rosa Mota

 

Rota do Chá
 11:00 – 11:30

R. Miguel Bombarda 457
a partir de €2,80
segunda a sexta: 11:00 às 20:00 | sábado: 11:00 às 21:00 | domingo: 12:00 às 20:00

aceda ao site

É na Rua Miguel Bombarda que vai revitalizar o seu dia com um chá. Se fôr tão amante de chá como eu, sempre que fôr ao Porto vai querer ir lá. A Rota do Chá contém uma variedade única de chás num ambiente inspirado no oriente. Pode escolher beber um chá quente ou frio acompanhado com um bolo, scone ou torrada nas diferentes salas que o espaço proporciona.

Rota do Chá, Porto
Rota do Chá
Procure o chá do dia se quiser um preço mais económico

Fundação Serralves
 11:45 – 13:00

Rua D. João de Castro, 210
crianças até 12 anos: gratuito | jovens, estudantes e idosos: €5 | adultos: €10
 todos os dias: 10:00 às 19:00

O Museu de Serralves tem temporariamente em exibição a exposição Joan Miró: Materialidade e Metamorfose” cuja entrada tem o valor de €16, sendo passível de descontos

 A entrada na Fundação Serralves é gratuita no primeiro domingo de cada mês no horário das 10:00 às 13:00

 Os valores apresentados no tarifário incluem o acesso ao museu e ao parque. Pode optar por comprar apenas o acesso ao parque por €5

aceda ao site

Para quem gosta de arte e cultura, Serralves é paragem obrigatória. A Fundação Serralves alberga o Museu de Arte Contemporânea, decorado pelo arquiteto português Álvaro Siza. Aproveite para se perder pelos gigantescos jardins e visite a Biblioteca de Arte que é constituída por temas de arte moderna e fotografia.

Desde há uns meses que há uma nova razão para visitar Serralves. Foi o local escolhido para expor a coleção do espanhol Joan Miró que tem estado sob alçada do estado português, mas que nunca tinha sido exposta.

Biblioteca da Fundação de Serralves, Porto
Biblioteca da Fundação de Serralves

Restaurante Serralves
 13:00 – 14:00

Rua D. João de Castro, 210
a partir de 18€
 abril a setembro: segunda a sexta – 12:00 às 19:00 | sábado: 10:00 às 19:00 | domingo: 10:00 às 20:00 | outubro a março: segunda a sexta – 12:00 às 19:00 | sábado e domingo: 10:00 às 19:00

Faça a sua reserva através do telefone +351 226 170 355 ou pelo email restaurante.serralves@ibersol.pt

aceda ao site

A minha sugestão para o almoço é o restaurante do Museu de Serralves. Destaca-se pela variedade, qualidade dos pratos e pelo serviço. E ainda almoça com vista para os jardins da Fundação.

Museu da Imprensa, Porto
Museu Nacional da Impresa

Museu Nacional da Imprensa
 14:30 – 15:00

Estrada Nacional, 108
 estudantes: €1,5 | idosos: €1 | adultos: €2
 segunda a sexta: 10:30 às 12:30 e das 14:30 às 18:30 | sábado, domingo e feriado: 14:30 às 18:30

aceda ao site

O Museu Nacional da Imprensa é ideal para as famílias porque algumas das máquinas estão em pleno funcionamento e fazem as delícias das crianças.

O museu abriu portas em 1997 e as peças estão dispostas por três setores: pré-impressão, impressão e acabamentos. Existe também uma galeria de exposições temporárias, onde frequentemente existem mostras ilustrativas relacionadas com a imprensa. É Neste espaço que anualmente é realizado o Porto Cartoon-World Festival, um dos maiores festivais de cartoons do Mundo.

 

 

Casa da Música
 16:00 – 17:00

Estação de Metro
Av. da Boavista, 604-610
Adulto 7,5€
 segunda a sábado: 9:30 às 19:00 | domingo e feriado: 9:30 às 18:00

 A Casa da Música tem visitas guiadas em português e em inglês, diariamente entre as 11:00 e as 16:00

 A Casa da Música foi construída para ser uma sala de espetáculos e não um monumento, logo, em dias de espetáculos, a visita pode ser limitada. Peça informações na bilheteira para saber quais são os espaços acessíveis no dia da sua visita

aceda ao site

A construção da Casa da Música devia ter ficado pronta para a Capital Europeia da Cultura em 2001, mas a construção atrasou-se. Nada que impedisse a transformação da sala de espetáculos num marco arquitectónico, que revolucionou não só a cidade, como todo o país.

Casa da Música, Porto
Casa da Música

A visita guiada tem a duração de cerca de uma hora e é possível passar pelas diferentes salas, ver a sua funcionalidade e a arquitetura idealizada pelo holandês Rem Koolhass. Se tiver oportunidade, não deixe de assistir a um espetáculo musical para ficar a perceber porque é que a acústica desta sala é tão elogiada mundialmente.

Aproveite para ver um espectáculo. A programação está disponível online.

Como viajar até ao Porto?

Sendo a segunda área metropolitana de Portugal, os acessos à cidade do Porto são bastantes e muito práticos. Se a sua origem for uma qualquer cidade de Portugal pode optar por usar a rede ferroviária e desembarcar numa estação que é património da humanidade. Pode ainda fazer o percurso de carro, havendo várias auto-estradas com ligações à invicta ou de autocarro. Se estiver no Algarve, zona de Lisboa ou no estrangeiro, pode optar por comprar uma viagem com destino ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro que serve a cidade do Porto.

Onde dormir no Porto?

 Bluesock Hostel Porto
 Rua de São João, 40
a partir de €37/pessoa (noite)
 9,3 (soberbo no Booking.com)
Reservar no Booking.com

 Rivoli Cinema Hostel
M Aliados
 Rua Dr. Magalhães Lemos, 83
a partir de €14/pessoa (noite)
9 (soberbo no Booking.com)
Reservar no Booking.com

 Go2oporto@Ribeira
 Muro dos Bacalhoeiros, 106
a partir de €70/pessoa (noite)
9,7 (excecional no Booking.com)
Reservar no Booking.com

Se viajar para Porto durante um fim de semana gasta cerca de €150 por pessoa

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção à autora: claudiapaiva@w360.pt
Viagens

Diogo Pereiratexto e fotos Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

 Serra da Lousã, Portugal

A caminhada que fiz na Serra da Lousã em 2013 foi absolutamente surpreendente, por isso partilho-a agora aqui:

O Castelo da Lousã transforma-se, por instantes, em linha de partida e, mais logo, será também a fita da meta. Vindos de Coimbra e com o objetivo de conhecer algumas Aldeias do Xisto não temos ainda em mente que os cerca de 17 quilómetros que vamos percorrer nos vão tomar o dia todo.

Serra da Lousã

Serra da Lousã

Serra da Lousã

Começamos o longo caminho com cheiro a natureza e vontade de descobrir. A manta que pisamos é decorada com folhas secas e muitos ouriços abertos que espalham as generosas castanhas que vamos apanhando para um belo repasto com sabor a Outono no final do percurso. Mais rara é a presença dos medronhos encarnados que se destacam no meio da paisagem húmida.

Serra da Lousã

Serra da Lousã

O guia que nos conduz nesta aventura lá vai dizendo para caminharmos com cuidado pelos sinuosos caminhos do Xisto. As conversas fazem-se de trás para a frente ou da frente para trás, não há conversas paralelas porque não há espaço para caminhadas lado a lado. Tal como se estivéssemos num carreiro de formigas atarefadas lá vamos dando passos tímidos pelo chão escorregadio em fila indiana.

Serra da Lousã

As pontes com troncos de madeira horizontais são o suporte prefeito para nos auxiliarem na passagem para o lado esquerdo primeiro e direito depois, do circuito de água criado pelos humanos para produção energética. Há que aproveitar as potencialidades dos cursos de água, mais ou menos efusivos, que aqui vão dando o ar da sua graça. Este é, aliás, um dos poucos sinais que o homem deixa na serra da Lousã, a par dos grandes moinhos eólicos lá bem no alto, a beliscar as nuvens com as pás movidas pelo vento, quase inalcansáveis.

Serra da Lousã

O caminho continua com subidas penosas e descidas insolentes. As primeiras pedras cinzentas e laminadas deixam os primeiros encalços para o que nos espera lá mais à frente: a primeira aldeia do Xisto.

Serra da Lousã

Serra da Lousã

O Candal é o primeiro lugar de paragem depois de várias horas de caminho matinal. A paragem é para espreguiçar as pernas e reconfortar o estômago para mais uma caminhada. Ao fundo as casas feitas das rochas que as caractrizam são abrigo para umas dez ou vinte pessoas, não mais. A azáfama maior apenas se nota em época de férias ou fins de semana quando os turistas querem limpar os pulmões do ar poluído da cidade e da semana de trabalho.

Serra da Lousã

Serra da Lousã

No folheto informativo dado pela simpática senhora que nos abre as portas do seu estabelecimento para nos servir um café quente e uma sala aconchegante neste dia de Novembro, pode ler-se que a aldeia serrana do Candal é considerada uma das mais evoluidas e mais visitadas, fica a informação que não conseguimos confirmar enquanto lá estivemos, nem viv’alma.

Com os níveis energéticos repostos iniciamos a segunda parte do percurso acompanhados pelas primeiras dores de pernas. Por entre os pinheiros e acácias longínquas o guia aponta o dedo para uma povoação na encosta do lado oposto: “é para ali que vamos”. Parece longe e começamos a fazer contas à vida, mas o caminho feito com boa companhia parece mais fácil.

Serra da Lousã

Com as marcas vermelhas e amarelas não há forma de perder o rasto ao trilho que, em tempos, já foi feito por moleiros, agricultores e mineiros da região.

Serra da Lousã

Juntam-se às castanhas e às folhas derrubadas pelo vento outonal as pegadas dos javalis e veados que fazem da encosta da serra a sua casa e dos caminhos do xisto o seu percurso habitual. Não sentimos a presença de nenhum destes animais, apenas o rasto.

Já perto de duas aldeias que embora tenham o Xisto na sua génese não estão incluidas no projeto das Aldeias do Xisto que, quando nasceu em 2001, procurou proteger as tradições destes povos quase em vias de extinção e promover o turismo nesta zona serrana bem no coração de Portugal, as guias da nossa caminha estão apagadas: “problemas com as comunidades hippies” que aqui se estabeleceram e que “não querem por aqui grandes movimentações” explica João, que nos mostra o caminho que tão bem conhece desde miúdo.

Serra da Lousã

Chegamos ao Talasnal já com o sol a revelar a sua timidez e as nuvens a aconchegarem as encostas que se começam a preparar para adormecer. Aqui parece que a vida é mais evidente. Muitos carros estacionados e algum movimento pelas ruas onde as casas partilham uma mesma parede. Aqui até há um barzinho onde é preciso baixar a cabeça para se conseguir passar pela porta encimada por uma tábua de madeira onde em letras amarelas se consegue ler “O Curral”.

Serra da Lousã

Serra da Lousã

Mais trinta minutos para chegar ao castelo da Lousã que vai receber-nos tão efusivamente como nos deixou partir bem cedo. Fazem-se contas à vida e apanham-se as últimas castanhas. Andámos quase vinte quilómetros, estamos arrebatados, vamos querer repetir a experiência, mas só quando as nossas pernas nos perdoarem esta maldade.

Aldeias do Xisto

São 27 as Aldeias do Xisto que estão espalhadas pelas Serras da Lousã e do Açor no centro de Portugal.
aceda ao site das Aldeias do Xisto

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt
Roteiros

claudia-paivatexto e fotos Cláudia Paiva
claudiapaiva@w360.pt

vídeos Diogo Pereira

Coimbra, Portugal

Coimbra está na rota do património mundial desde 2013, mas antes desta tão elevada classificação já estava na rota de milhares de estudantes que por aqui passam, ano após ano, para iniciarem a vida académica. Mas nem só de estudantes é feita a cidade. Arte, cultura, ciência, tecnologia e o fado estão no ADN desta cidade cheia de vida.

Aproveite para conhecer Coimbra num fim de semana. Qual a melhor altura do ano? Venha em maio, mês de uma das maiores festas de estudantes do país ou em setembro, início do ano lectivo e quando milhares de estudantes andam trajados pelas ruas de Coimbra.

Coimbra
Portugal (centro)
 Português
143 396 hab. (2011)
Euro (EUR)
GMT+0
 Europeia, 2 pinos
+351
112
No inverno as temperaturas variam entre 5ºc e 20ºc.
No verão as temperaturas variam entre os 10ºc e os 30ºc.

Dia 1

Igreja de Santa Cruz
  09:30 – 10:30

Praça 8 de Maio
entrada gratuita
aceda ao site
segunda a sábado: 09:00 às 17:00 (aos sábados encerra entre as 12:00 e as 14:00) | domingos e feriados religiosos: 16:00 às 17:30

Comece esta viagem pela baixa da cidade. Se vier de comboio é provável que chegue à estação Coimbra-B. Aqui procure um comboio com destino a Coimbra que o vai deixar na estação central da cidade. Ainda dentro do comboio vai ser atraído pelo rio que banha a cidade dos estudantes: o rio Mondego que nasce na Serra da Estrela e vai desaguar perto da Figueira da Foz.

Siga pelas ruas estreitas da baixa da cidade, mas antes olhe para a bonita fachada da estação de onde acabou de sair. Tem mais de 130 anos e é uma importante porta de entrada em Coimbra. Sempre acompanhado de cafés, lojas e mercearias há de chegar à Igreja de Santa Cruz que tem a sua origem no estilo romântico e foi fundada em 1131. Este é um dos mais emblemáticos edifícios nacionais porque aqui estão os túmulos dos dois primeiros Reis de Portugal: D. Afonso Henriques, “o conquistador” e D. Sancho I, “o povoador”.

Café Santa Cruz
 10:30 – 11:00

Praça 8 de Maio
aceda ao site
todos os dias: 7h00 às 2h00

Do lado direito da Igreja de Santa Cruz está um dos mais icónicos cafés da cidade: o Café Santa Cruz. Nem sempre teve a função de café-restaurante, tendo sido mandado erguer em 1530 com funções de convento. Com o passar dos anos foi-se transformando em igreja, armazém de ferragens e canalizações, esquadra de polícia, casa funerária, quartel de bombeiros e em 1923 transforma-se finalmente no Café Santa Cruz que hoje conhecemos. A meio da manhã passe por lá e prove os famosos Crúzios, um doce antigo muito, muito bom.

Café Santa Cruz
Café Santa Cruz

 

Se viajar para Coimbra de autocarro não deixe ver as vantagens que o cartão Reflex da Rede Expressos lhe pode oferecer.

Edifício Chiado 
 11:00 – 11:30

Rua Ferreira Borges
€1,20 (jovens e idosos) a €1,80 (adultos)
aceda ao Facebook
terça a sexta: 10:00 às 18:00 | sábado e domingo: 10:00 às 13:00 e das 14:00 às 18:00

Continue pela rua principal da baixa, a rua Ferreira Borges, até chegar ao Museu Municipal de Coimbra, no Edifício Chiado. Com arquitetura de ferro, faz parte do núcleo da cidade muralhada. O seu acervo divide-se por seis núcleos: pintura do séc. XIX e primeira metade do séc. XX, mobiliário, cerâmica, escultura, pratas e outras peças heterogéneas.

Museu Municipal de Coimbra - Edifício Chiado
Museu Municipal de Coimbra – Edifício Chiado

Torre e Arco de Almedina
 11:30 – 12:30

Rua do Arco Almedina 7
€1,20 (jovens e idosos) a €1,80 (adultos)
aceda ao Facebook
terça a sexta: 10:00 às 18:00 | sábado e domingo: 10:00 às 13:00 e das 14:00 às 18:00

Quando sair do museu volte um pouco para trás, vire à direita e procure o Arco de Almedina. Aproveite para comprar um postal ou uma lembrança da cidade e depois suba à Torre de Almedina, que servia para vigiar a principal entrada na antiga cidade medieval. Conheça toda a história de Coimbra através do núcleo interpretativo que encontrar.

Arco de Almedina
Arco de Almedina
Aproveite o bilhete do comboio rápido que o deixará na estação Coimbra-B para chegar à estação central da cidade sem pagar mais por isso

Sé Velha
12:30 – 13:30

Largo Sé Velha, 3000-383 Coimbra
€2,5
aceda ao site
segunda a sábado: 10:00 às 18:00 | domingos e feriados: 13:00 às 18:00

A partir daqui o caminho é difícil, só os Crúzios do Café Santa Cruz lhe podem dar a energia necessária para subir até à Sé Velha. A sua construção terá sido iniciada no séc. XII e destaca-se a grande porta lateral em calcário branco. No interior os claustros do séc. XVIII são o grande segredo por descobrir.

Sé Velha Coimbra
Sé Velha

Instituto Universitário Justiça e Paz 
13:30 – 14:30

Rua da Couraça de Lisboa, 30
aceda ao site
a partir de €5
segunda a sexta: 8:30 às 23:30 | sábado: 9:00 às 19:00 | domingo: encerrado

Já na alta de Coimbra faça uma pausa para almoço envolvido no espírito universitário. A minha sugestão é o Instituto Universitário Justiça e Paz. Se estiver bom tempo aproveite a esplanada para ter das melhores vistas para o rio Mondego, o Jardim Botânico da Universidade e a Ponte Pedro e Inês.

Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
Coimbra é uma cidade pequena e todos os locais estão acessíveis sem necessidade de recorrer a transportes públicos, no entanto como vai ter que subir e descer muitas ruas traga calçado confortável

Universidade de Coimbra
 14:30 – 16:00

Largo da Porta Férrea
aceda ao site
gratuito (crianças com menos de 12 anos) a€9 (adultos)
aceda ao site
loja: 8:30 às 19:00 | circuito turístico: 9h00 às 19h30 | Torre da Universidade: 10:00 às 19:00

Depois do almoço percorra a Universidade de Coimbra, a mais antiga de toda a lusofonia e uma das mais antigas da Europa, foi mandada construir por D. Dinis em 1290. Já ultrapassou os 700 anos!

Não saia sem visitar o Paço Real, a Capela de São João, suba À Torre da Universidade e deixe para o fim, se conseguir aguentar a ansiedade, a famosa Biblioteca Joanina, que já conquistou o galardão de mais bonita biblioteca do mundo.

Atualmente mais de 20 mil alunos estudam nesta que é uma das universidades mais prestigiadas da Europa. O pólo mais antigo é constituído pela Faculdade de Direito, Letras, Medicina, Psicologia e departamentos de Física e Química, Matemática, Arquitetura e Antropologia. Para além deste, a Universidade de Coimbra tem mais dois pólos de ensino e investigação que acolhem estudantes de cursos como Farmácia, Economia ou Engenharias.

Universidade de Coimbra
Universidade de Coimbra
Torre da Universidade de Coimbra
Torre da Universidade de Coimbra
Poupe nas entradas nos museus de Coimbra. No primeiro domingo de cada mes, a entrada é gratuita na maioria deles.

Museu Nacional de Machado de Castro
 16:00 – 18:00

Largo Dr. José Rodrigues
€6 (Criptopórtico),  €3 (circuitos temáticos), entrada gratuita para crianças até aos 12 anos
aceda ao site
abril a setembro: ter. – 14:00 às 18:00; qua. a sáb. – 10:00 às 19:00 outubro a março: ter. a dom. –  10:00 às 13:00, 14:00 às 18:00

Ainda pela zona da Universidade siga em direção ao Museu Nacional de Machado de Castro. Para absorver toda a história deste fantástico museu, gaste duas horas com ele. Vai valer a pena!

A jóia da coroa do Machado de Castro é o Criptopórtico do Forum de Aeminium do séc. I e que é considerada a mais importante construção Romana conservada em Portugal.

Para além dos seis núcleos, (escultura (período romano ao século XX), ourivesaria (dos séculos I ao XX), pintura (dos séculos XV ao XX), cerâmica (dos séculos XVI ao XX), têxteis (dos séculos XVI ao XIX) e mobiliário (dos século XVIII e XIX )) o acervo é ainda constituido por bens de casas religiosas extintas na região de Coimbra, peças do espólio proveniente das escavações arqueológicas no criptopórtico.

 

Jardim Botânico da Universidade de Coimbra
18:00 – 19:00

 Combatentes
 entrada gratuita
aceda ao site
outubro a  março: 9:00 às 17:30 | abril a setembro: 9:00 às 20:00

O Jardim encerra nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1 de janeiro bem como nos dias da realização dos cortejos da Festa das Latas e da Queima das Fitas.

 

Volte a subir em direção à Alta Universitária, passe na Rua Larga (entre a Faculdade de Medicina e os Departamentos de Física e Química) e chegue à praça que partilha o nome com o fundador da Universidade de Coimbra: D. Dinis. O sexto Rei de Portugal olha na direção das Escadas Monumentais, com um total de 125 degraus.

Desça as escadas e, ao fundo, vire à direita e mantenha os Arcos do Jardim no horizonte.

Entre no Jardim Botânico que foi mandado construir pelo Marquês de Pombal em 1772 e procure a estátua do professor Avelar Brotero que fez crescer o jardim, que tem atualmente mais de 13 hectares de extensão, e foi um dos principais responsáveis por diversos estudos na área da botânica.

 

Casa das Caldeiras 
 19:00 – 21:30

 Padre António Vieira 7
 a partir de €10
aceda ao Facebook
 terça a domingo 9:00 às 2:00; segunda: fechado

Para jantar recomendo a Casa das Caldeiras. Não está no Porto, mas prove uma Francesinha.

O espaço não é só um restaurante, é também uma atração de interesse histórico e, imagine-se, industrial. Ali estão as caldeiras que abasteciam o hospital da universidade, quando ainda funcionava na Alta Universitária. Ainda hoje pode ver as linhas por onde passavam os carrinhos com o carvão, e a estrutura das caldeiras.

Casa das Caldeiras
Casa das Caldeiras

 

 

Alta
 21:30 –

 

Um dos locais noturnos mais frequentados da cidade é a Alta. Tem uma grande variedade de bares e as bebidas são baratas. É comum os estudantes ficaram na rua a beber uma cerveja, uma sangria ou o tradicional Traçadinho (uma mistura de vinho com gasosa).

Bar Passaporte Coimbra
Bar Passaporte

Mais calmo do que os tradicionais bares de estudantes da Alta e com uma maior variedade de bebidas sugiro o Passaporte. Localizado no antigo Governo Civil de Coimbra, destaca-se pela vista sobre o Mondego. É ótimo para relaxar depois de um dia intenso, mas não se entusiasme com as bebidas portuguesas porque amanhã o dia começa cedo.

Parque Verde do Mondego
Parque Verde do Mondego

Dia 2

Penedo da Saudade
 09:30 – 10:00

Av. Marnoco e Sousa
 entrada gratuita
 aberto 24 horas por dia

Comece o dia pelo Penedo da Saudade, um parque pequeno onde os estudantes deixam placas que assinalam o fim das suas vidas académicas.

Daqui consegue ver também uma zona mais urbana de Coimbra, onde se insere o Estádio onde joga a principal equipa da cidade: a Académica.

Penedo da Saudade
Penedo da Saudade

Círculo de Artes Plásticas
 10:00 – 11:00

Pedro Monteira (Casa Municipal da Cultura, Piso -1)
Gratuito
aceda ao Facebook
Terça a Sábado: 14:00 às 18:00

Prossiga em direção ao Círculo de Artes Plásticas de Coimbra, onde poderá ver exposições temporárias de arte contemporânea. Por aqui passam anualmente os mais prestigiados artistas plásticos – e não só – do país.

De seguida desça pelo Jardin da sereia, obra idealizada e construída no reinado de D. João V. A entrada, voltada para a Praça da República, é coroada por três estátuas representando a Fé, a Caridade e a Esperança. A influência do barroco francês manifesta-se nas alamedas debruadas a loureiros, bem como nos lagos, tanques, canteiros e elementos decorativos como os painéis de azulejos.

Círculo de Artes Plásticas - Edifício Sereia
Círculo de Artes Plásticas – Edifício Sereia

Parque Verde
 11:00 – 12:00

Av. de Lousa
 entrada gratuita
aceda ao site
 aberto 24 horas por dia

Desça pela Avenida Sá da Bandeira em direção ao Parque Verde. Pelo caminho vai encontrar o mercado municipal D. Pedro V que funciona de segunda a Sábado das 7:00 às 19:00. Aqui vai encontrar produtos regionais de Coimbra de altíssima qualidade.

Quando chegar ao Parque Verde aproveite para descansar um pouco, ler um livro ou tirar uma foto na Ponte Pedonal Pedro e Inês. O parque foi um projeto da autoria do arquiteto Camilo Cortesão e da arquiteta Mercês Vieira e abrange as duas margens do rio Mondego.

 

Zé Manel dos Ossos
 12:00 – 14:00

Beco do Forno 12
a partir de €7,5
aceda ao Facebook
 segunda a sábad0: 12:30 às 15:00 | domingo: fechado

Almoce no Zé Manel dos Ossos, uma tasca tipicamente portuguesa. Fica num dos becos da Baixa, bem escondida por trás do edifício do Banco de Portugal. O espaço é pequeno e nem sempre é fácil conseguir uma mesa, mas a espera é recompensada quando chegam à mesa os saborosos ossos que são apenas uma entrada. Para almoçar recomendo o Arroz de Feijão e Costeletas. Para a sobremesa prove o… vomitado! Vai ver que vai gostar.

Hotel Astória e Agência do Banco de Portugal Coimbra
Hotel Astória (esq.) e Agência do Banco de Portugal (dir.)

Portugal dos Pequenitos
 14:00 – 16:00

Largo Rossio de Santa Clara
€5,95 (crianças até aos 13 anos) a €9,5 (adultos)
aceda ao site
1 de janeiro a 29 de fevereiro e 16 de outubro a 31 de dezembro – 10:00 às 17:00; 1 de março a 31 de maio e de 16 de setembro a 15 de outubro – 10:00 às 19:00 | 1 de junho a 15 de setembro – 9:00 às 20:00

Atravessando a ponte de Santa Clara encontra o Portugal dos Pequenitos. Um espaço com miniaturas dos edifícios das várias regiões do país, bem como das ex-colónias portuguesas, numa tentativa de mostrar a dimensão imperial do país. Nos últimos anos foram acrescentadas mais duas obras, a casa do chá da artista portuguesa Joana Vasconcelos e uma réplica das Casas de Xisto.

 

Mosteiro de Santa Clara-a-velha
 16:00 – 17:00

Rua das Parreiras, Santa Clara
aceda ao site
gratuito (crianças até aos 11 anos) a €5 (adultos)
 maio a setembro: ter. a dom. – 10:00 às 19:00; seg. –encerrado outubro a abril: ter. a dom. –  10:00 às 18:00, seg. –encerrado

O Mosteiro de Santa Clara- a-Velha, monumento nacional, foi fundado por Dona Mor Dias em 1286, com objetivo de criar uma casa de clarissas. Construído na margem esquerda do rio Mondego, ao longo dos anos Santa Clara sofreu sucessivos avanços da água, razão pela qual as freiras que habitavam o local se mudaram para Santa Clara a Nova. O edifício chegou a estar totalmente submerso.

Quinta das Lágrimas
Quinta das Lágrimas

Quinta das Lágrimas
 17:00 – 18:30

António Augusto Gonçalves
gratuito (crianças até aos 10 anos) a €2,5 (adultos)
aceda ao site
16 de março a 15 de outubro: ter. a dom. – 10:00 às 19:00; seg. –encerrado | 16outubro a 15março: ter. a dom. –  10:00 às 17:00, seg. –encerrado

Há visitas guiadas por €5

 

Para terminar a sua visita a Coimbra, visite a Quinta das Lágrimas que Luís de Camões imortalizou na literatura portuguesa na sua obra-prima, Os Lusíadas. Não era para menos. A quinta foi palco de um dos romances proibidos da história da família real portuguesa.

No séc. XIV esta era uma zona de caça da família real e onde o príncipe D. Pedro e Inês de Castro, uma fidalga galega que servia de companhia a sua mulher, D. Constança, se encontravam às escondidas. Ao ser descoberta a relação, Inês de Castro foi assassinada na mata por ordem do Rei D. Afonso IV, rei de Portugal e pai de D. Pedro. Quando D. Pedro herdou o trono e se tornou Rei de Portugal, procurou o corpo de D. Inês e coro-a Rainha de Portugal.

Hoje a Quinta das Lágrimas é um hotel de luxo, uma boa opção para pernoitar em Coimbra.

Como viajar até Coimbra?

Chegar até Coimbra é muito fácil de qualquer ponto do país. A cidade é ligada por diversas auto-estradas, uma rede de autocarros com várias origens e ainda a estação de comboio, ligada às principais cidades do norte, sul e centro do país. Se a sua origem for fora de Portugal, o aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, é o mais próximo da cidade.

Onde dormir em Coimbra?

Quinta das Lágrimas

Quinta das Lágrimas .
António Augusto Gonçalves
a partir de €135/pessoa (noite)
8,2 (ótimo no Booking.com)
Reservar no Booking.com

Hotel Astória

Hotel Astória .
Emídio Navarro 21
a partir de €61/pessoa (noite)
7,5 (bom no Booking.com)
Reservar no Booking.com

NS Hostel

NS Hostel & Suits
Lourenço Almeida de Azevedo
a partir de €15,20/pessoa (noite)
7,8 (bom, no Booking.com)
Reservar no Booking.com

Se viajar para Coimbra durante um fim de semana gasta cerca de €200 por pessoa

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção à autora: claudiapaiva@w360.pt