35% dos passageiros admitem que tentariam transportar os seus objetos pessoais numa evacuação de emergência, embora seja perigoso

Uma percentagem elevada de passageiros inquiridos no Reino Unido admitem que tentariam resgatar os seus pertences antes de abandonarem o avião num caso de evacuação de emergência

PUB

Os passageiros são especificamente instruídos a deixar para trás todos os objetos pessoais no avião aquando de uma evacuação de emergência.

De acordo com um inquérito levado a cabo pela ComRes para a Royal Aeronautical Society, no Reino Unido, 35% dos entrevistados garantem que tentariam reunir os seus haveres antes de sair de uma aeronave.

Num quadro em que existisse perigo imediato para os viajantes áereos, 61% dos inquiridos manifestam que não levariam nada com eles. Todavia, numa situação que não constituísse uma ameaça óbvia aos passageiros, 75% exprimem que agrupariam os pertences antes de se deslocarem para fora do avião.

“O facto de haver tantos passageiros que parariam para juntar alguns ou a totalidade dos objetos pessoais aquando de uma evacuação de emergência trata-se de uma preocupante descoberta”, declarou, em comunicado, Terry Buckland, da Royal Aeronautical Society, que sublinhou ainda que “as autoridades e operadores de aviação devem verificar se as exigências atuais, bem como as práticas da indústria, suportam as mais rápidas e seguras evacuações de emergência”.

No início deste ano, o National Transportation Safety Board divulgou um relatório que afirma que já quatro evacuações de emergência foram atrasadas por passageiros que tentavam agarrar nas bagagens antes de abandonarem a aeronave.

Foto de Pixabay