Atrasos nos aeroportos portugueses afetam quase sete milhões de pessoas em 2018

No ano passado os problemas relacionados com atrasos e cancelamentos em aeroportos portugueses foram particularmente evidentes.

passageiro em sala de espera no aeroporto com mala Foto de Pixabay
PUB

34% dos voos comerciais com origem em Portugal “chegaram ao destino com mais de 15 minutos de atraso ou foram cancelados”. De acordo com dados da AirHelp terão sido cerca de sete milhões os passageiros afetados em 2018.

Do total de afetados 340 mil terão direito a compesação ao abrigo do regulamento EC261, garante a empresa de defesa dos direitos dos passageiros aéreos.

Mais de 64 mil voos foram afetados por atrasos e cancelamentos, sendo Azores Airlines a mais afetada. A subsidiária da SATA viu 44% dos seus aviões com origem nos aeroportos portugueses a chegarem ao destino com mais de quinze minutos de atraso ou a serem cancelados.

Em termos percentuais a Azores Airlines, do grupo SATA, é a companhia que mais vezes chegou ao destino atrasada ou viu os seus voos com origem nos aeroportos portugueses serem cancelados. Foto de Ken Fielding

A TAP surge em segundo lugar na lista com 41% dos seus voos afetados. O terceiro posto é ocupado pela SATA Air Açores, também subsidiária da açoriana SATA, com 29% de voos a sofrerem atrasos no destino ou cancelamentos.

A lista fica completa com as low cost Easyjet (27%) e Ryanair (19%).

PUB

Em termos nominais a TAP lidera largamente a lista de voos atrasados ou cancelados com cerca de 32.900 das suas conexões afetadas. A Ryanair (5700) fica em segundo lugar, EasyJet (5600) em terceiro, SATA Air Açores (4500) em quarto lugar e Azores Airlines (2500) a fechar o top cinco.

No que diz respeito aos aeroportos, é o Humberto Delgado, em Lisboa, que encabeça a lista dos que tiveram mais perturbações, com 34% dos voos ali operados a chegarem ao destino com atrasos superiores a quinze minutos ou a serem cancelados.

O Aeroporto de Lisboa é a estrutura onde se registam mais atrasos ou cancelamentos. Foto de Mister No

O aeroporto João Paulo II, em Ponta Delgada, é o segundo mais fetado em Portugal com uma taxa de 34%. O Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, fixa-se nos 26%, seguido pelo Aeroporto Cristiano Ronaldo, na Madeira, com 24%.

O Aeroporto de Faro teve a melhor prestação de todos com 15% de voos afetados.

2018 “bateu recordes em termos de perturbações e de passageiros com direito a compensação” por causa dos atrasos ou cancelamentos de voos, de acordo com a AirHelp.

A nível mundial o número de pessoas com direito a compensações fixa-se em 10 milhões.

Os passageiros que forem afetados por cancelamentos ou atrasos de voos podem ter direito a indemnizações que podem chegar aos 600 euros. Saiba mais aqui!