Vamos começar a pagar para despachar bagagem em voos internacionais? Parece que sim

Companhias de longo curso começam a apostar na cobrança de bagagens despachadas para o porão

PUB

texto e foto Diogo Pereira
diogopereira@w360.pt

foto Aero Icarus

Companhias de longo curso começam a apostar na cobrança de bagagens despachadas para o porão

autor Aero Icarus from Zürich, Switzerland

publicidade

Duas das principais companhias aéreas a operar no mundo, uma portuguesa e uma americana acabam de anunciar que vão começar a cobrar pela bagagem despachada em voos internacionais. A estratégia vai ao encontro das políticas de aproximação às companhias low cost e incidirá sobre a classe “económica básica”, presente na maioria das transportadoras e que se caracteriza pela inexistência de serviço de refeições a bordo ou escolha de lugar.

A primeira a anunciar a medida foi a americana Delta Airlines que a partir de abril de 2018 começa a cobrar 50 dólares pela primeira bagagem despachada para o porão e 100 dólares pela segunda. A medida vai apenas aplicar-se aos passageiros que viajam em “económica básica”.

A Air France/KLM vai seguir a mesma estratégia da Delta também em abril do próximo ano, de acordo com o Business Travel.

A partir de agora os passageiros terão que ter mais atenção às passagens que vão comprar, uma vez que um preço demasiado atrativo pode significar que a bagagem de porão não está incluída.

Para os passageiros para os quais não é relevante a bagagem extra, não haverá grandes diferenças.

A Air France/KLM e a Delta não são as únicas a aplicarem esta medida e por isso parece estar a tornar-se uma tendência.

publicidade

publicidade

Encontrou algum erro ou informação desatualizada? Sugira uma correção ao autor: diogopereira@w360.pt