Condenados por violência doméstica vão ser impedidos de entrar na Austrália

Nova lei australiana impede que qualquer pessoa condenada por violência doméstica entre no país. Os estrangeiros que tenham cometido o crime terão que sair.

Opera House de Sidney fotografada à noite iluminada de azul. Foto de Pixabay
PUB

A Austrália acaba de pôr em prática uma lei que impede todos aqueles que pedem vistos para o país de entrarem se tiverem no cadastro crimes de violência doméstica. A medida segue na linha dos impedimentos de entrada do cantor Chris Brown e do astro do boxe Floyd Mayweather que por terem sido condenados por este crime viram a sua entrada no país ser impedida.

Em vigor desde o passado dia 28 de fevereiro, a nova lei estipula que não sejam atribuídos vistos a condenados por violência doméstica independentemente da sua nacionalidade, local onde cometeram o crime ou tipo de sentença.

Passaporte português com visto de entrada na Rússia
Quem pedir um visto de entrada na Austrália não conseguirá entrar se tiver cadastro por violência doméstica. Foto de Cláudia Paiva

Em declarações recentes o ministro da imigração australiano disse que “se foi condenado por um crime violento contra mulheres ou crianças, não será bem-vindo neste país”.

O objetivo desta medida prende-se com a necessidade de reduzir este tipo de crimes na Austrália e vem juntar-se a uma outra que já impedia a entrada no país de pessoas com cadastro de condenações de mais de um ano.

“Ao impedirmos que criminosos entrem no nosso país, tornamo-lo num lugar mais seguro”, explicou o ministro. “Estes crimes causam traumas duradouros nas vítimas e nos seus amigos e familiares.”

PUB

A nova lei australiana é mais abrangente e não afeta apenas quem quer entrar no país. Todos os estrangeiros que ali vivem e que têm condenações por violência contra mulheres ou crianças serão expulsos do país.