NotíciasHomem foi expulso do avião por causa de um comprimido para dormir
Passageiro, de costas, a viajar dentro de um avião comercial e a usar headphones nos ouvidos. Foto de Pixabay

Homem foi expulso do avião por causa de um comprimido para dormir

PUB

Stephen Bennett foi retirado de um avião da West Jet depois de adormecer graças a um comprimido para dormir. O canadiano estava a caminho de Cuba com a mulher e o filho quando o incidente aconteceu.

A viagem começou na província canadiana de Colúmbia Britânica e a viagem até Havana incluía uma escala em Toronto. Precisamente antes de entrar no voo de ligação que levaria a família do Canadá até Cuba, Bennett teve que tomar um comprimido para dormir que lhe tinha sido receitado por um médico, na sequência de uma cirurgia.

A toma do medicamento acabou por levar o homem a adormecer mesmo antes de o embarque de todos os passageiros ter terminado, o que levou uma assistente de bordo a tentar acordá-lo. Como a mulher de Bennett não falava inglês, acabaria por se gerar uma situação confusa que, associada à dificuldade em acordar do homem, levou a tripulação a chamar os médicos do aeroporto.

Interior do terminal do Aeroporto de Aesterdão cheio de pessoas a caminhar. Foto de Pexels
O homem acabou por ficar retido no aeroporto com a mulher e o filho

Em cadeira de rodas, o canadiano foi retirado do avião de forma “muito humilhante”, referiu à BBC. Mesmo depois de os médicos terem atestado que o homem estava apto para voar, a tripulação da WestJet não permitiu o seu embarque.

Em declarações à BBC a companhia aérea recusou-se a comentar o caso específico, mas deixou claro que a tripulação tem a obrigação de remover um passageiro da cabine do avião se ele não estiver em condições de voar.

PUB

“Apoiamos as decisões da nossa tripulação e acreditamos que a oferta que fizemos a esse cliente foi muito razoável”, declarou a WestJet, informando que ofereceu a Stephen Bennett e à família a possibilidade de voarem num voo da companhia na semana seguinte, o que recusaram.

Uma vez que tinham um hotel reservado em Cuba e sob pena de perderem a reserva, acabaram por reservar voos noutra companhia aérea para o dia seguinte que custaram mais de 1.300 euros. À pesada fatura juntou-se ainda uma noite num hotel de Toronto que a WestJet também não suportou.

“Nós apoiamos as decisões de nossa equipe e acreditamos que o que oferecemos a esse convidado é razoável, dadas as circunstâncias”

Artigos Sugeridos

Sou licenciado em Jornalismo e estou a fazer o mestrado em Relações Internacionais. Quero aprender como gira o globo. Como se fazem e desfazem alianças. Como é que os líderes aprendem com a história. diogopereira@w360.pt