Itália. Entradas gratuitas aos domingos nos museus vão acabar

Objetivo da medida é evitar a desvalorização dos locais

PUB

O novo ministro transalpino da Cultura, Alberto Bonisoli, comunicou que, a partir deste outono, a pátria da ópera vai acabar com as entradas gratuitas aos domingos nos museus italianos.

Cerca de 480 museus – incluindo o Coliseu de Roma, a Galeria Uffizi, em Florença, e o Parque Arqueológico de Pompeia, em Nápoles – são, atualmente, de entrada gratuita, no primeiro domingo de cada mês.

Em conferência de imprensa, o titular da pasta da Cultura referiu que o governo vai acabar com o programa gratuito aos domingos numa tentativa de evitar “desvalorizar os locais”.

Alguns críticos do plano pediram um programa que cobrasse apenas aos visitantes estrangeiros e mantivesse os museus livres para os cidadãos transalpinos.

Num vídeo do Facebook respondendo às críticas, Bonisoli disse que a entrada gratuita nos museus “poderia acontecer, mas de uma maneira inteligente”. Os diretores dos museus teriam a liberdade de designar os próprios dias livres, como resposta às flutuações sazonais de visitas.

A entrada regular em atrações italianas não é barata: o ingresso para o Coliseu vale 12 euros e um bilhete para o Vaticano custa 17 euros.