“Momentos de pânico” no avião da Ryanair que aterrou de emergência em Lisboa

Máscaras de oxigénio foram libertadas

PUB

Viveram-se “momentos de pânico” depois de uma “queda abrupta” de um avião da Ryanair que teve que aterrar de emergência esta quarta feira no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, relata ao Observador um passageiro que seguia a bordo.

O Boeing 737 que fazia a ligação entre as cidades de Lisboa e Porto teve que voltar ao ponto de origem depois de se registarem problemas técnicos a bordo, informou na passada quarta feira fonte oficial da companhia.

Relatos de um passageiro que seguia a bordo dão conta de um “ligeiro cheiro a queimado” e da queda das máscaras de oxigénio.

Imagem cedida ao Observador por um passageiro que seguia a bordo

Fonte da Ryanair confirma à mesma fonte que houve uma despressurização da cabine e que, por isso, “as máscaras de oxigénio foram ativadas”. A companhia esclarece ainda que todas as normas foram seguidas, tendo a tripulação pedido ao controlo de trafego aéreo autorização para descer de altitude, regularizando os níveis de oxigénio necessários.

lowcost esclarece que a aterragem foi feita com normalidade, o que é corroborado pela ANA – Aeroportos de Portugal, entidade gestora do aeroporto de Lisboa.

PUB

O mesmo passageiro relata ainda que depois da aterragem os passageiros permaneceram no avião por causa da diferença de pressão. “Havia bastante gente a chorar”, termina.

O voo que devia ter aterrado no Porto às 13h35 foi efetuado por uma aeronave de substituição.