Mulher adormece e fica fechada em avião “completamente sozinha”

Uma mulher fica fechada em avião da Air Canada “completamente sozinha” sem que a companhia consiga explicar o que verdadeiramente aconteceu.

Cabine interior de avião vazia e com vários ecrãs desligados. Foto de Pixabay
PUB

Uma mulher acordou no passado dia 9 de junho “completamente sozinha” no interior de um avião fechado da Air Canada, conta o The Independent. Depois de fazer uma viagem entre a cidade do Quebec e Toronto, Tiffani Adams não terá sido acordada quando o avião aterrou, tendo sido deixada no interior da aeronave.

O voo durou cerca de uma hora e 50 minutos. “Adormeci, pelo menos, a meio do curto voo”, começa por explicar numa publicação de Facebook, entretanto eliminada. “Acordei por volta da meia-noite (algumas horas depois de ter aterrado), cheia de frio, ainda com o cinto de segurança e numa escuridão completa (não se via mesmo nada). Estava completamente sozinha”, continua.

Para tentar sair daquela situação, Adams tentou usar o telemóvel mas estava descarregado. Sem que fosse possível carregá-lo a bordo, a mulher chegou ao cockpit onde encontrou um walkie-talkie que também não funcionou.

Avião da Air Canada a descolar do aeroporto
Incidente aconteceu a bordo de um avião da Air Canada

Enquanto divagava pela cabine escura da aeronave, encontrou uma lanterna que usou para fazer sinais luminosos pela janela, sem que ninguém percebesse a sua presença.

Tiffani Adams acabaria por sair desta situação, quando conseguiu abrir a porta principal do avião. Para evitar uma queda aparatosa, voltou a socorrer-se da lanterna para voltar a fazer sinais luminosos, sendo essa a altura em que um funcionário do aeroporto a ajudou a descer e a levou até ao interior do aeroporto. “Ele perguntou como é que alguém me deixou no avião. Eu pergunto o mesmo”, escreveu a passageira.

PUB

A companhia aérea ofereceu-se para transportar a passageira afetada pela situação de limusina, assim como uma estadia em hotel, regalias que Adams recusou, garantindo que a situação lhe deixou traumas: “Eu não tenho conseguido dormir devido aos terrores noturnos recorrentes”, explica.

A Air Canada confirmou o incidente, mas não deu qualquer pista sobre o que poderá ter estado na sua origem. “Ainda estamos a rever o assunto, por isso não temos mais detalhes para partilhar, mas acompanhamos a cliente e permanecemos em contacto com ela”, detalhou a companhia.