Qantas promete eliminar 100 milhões de plásticos de utilização única

A companhia australiana Qantas comprometeu-se com a redução drástica de plásticos de utilização única até ao próximo ano.

Avião Boeing 737-800 da Qantas em voo
PUB

A companhia aérea australiana Qantas comprometeu-se com o ambicioso objetivo de reduzir totalmente todos os plásticos de utilização única de todos os seus aviões e lounges até 2020. Mostrando-se em linha com preocupações ambientais, a companhia espera ainda transformar-se na primeira empresa aérea do mundo a reutilizar, reciclar ou enviar para a compostagem 75% dos seus resíduos até 2021.

Só a Qantas e a sua subsidiária low cost Jetstar são responsáveis pela produção de 30 mil toneladas de lixo a cada ano que é o equivalente ao peso de 80 aviões Boeing 747, um dos maiores jatos de transporte de passageiros do mundo.

Avião Boeing 747 da Qantas a ser rebocado no aeroporto
A produção de lixo da Qantas e da Jatstar a cada ano é equivalente ao peso de 80 Boeing 747. Foto de Pixabay

Para mostrar que está verdadeiramente empenhada na tarefa de reduzir os plásticos de utilização única, a Qantas já começou a eliminar os plásticos que envolvem as mantas, as almofadas e os headphone oferecidos aos passageiros de voos de longo curso, revela a Lonely Planet.

Os cartões de embarque também já não existem na companhia australiana, assim como os cartões de fidelização de passageiros. Os cafés a bordo também vão começar a ser servidos chávenas feitas de materiais alternativos que no final do voo podem ser recicladas ou enviadas para compostagem.

A cada ano é esperado que se removam 100 milhões de itens de plástico, entre os quais 40 milhões de copos, 30 milhões de conjuntos de talheres, 21 milhões de chávenas de café e quatro milhões de proteções de encosto de cabeça dos bancos das aeronaves.

PUB

Também os passageiros vão ser envolvidos na difícil tarefa de transformar uma gigantesca companhia aérea numa empresa amiga do ambiente. A partir do verão de 2019 todos os passageiros vão poder contribuir com dinheiro para compensar as emissões poluentes dos voos que fizerem. Por cada dólar pago, a companhia vai oferecer 10 milhas no programa de fidelização que podem ser trocadas por produtos ou viagens.

“Poucas indústrias podem erradicar completamente o lixo que produzem mas com este programa estamos a mostrar que o lixo evitável não pode continuar a ser aceitável. Isto não é apenas a coisa certa a fazer, também é bom para o negócio da empresa e vai-nos colocar à frente dos requisitos legais que muitos países já começaram a implementar relativamente à utilização de plásticos de utilização única, refere o CEO da Qantas Alan Joyce à Lonely Planet.

A primeira companhia aérea do mundo a conseguir fazer um voo livre de plásticos de utilização única é portuguesa. Saiba mais aqui.