Tripadvisor continua a promover hotéis onde terão ocorrido violações

Depois de várias mulheres se terem queixado por terem sido violadas em hotéis, o Tripadvisor não retira propriedades da plataforma.

Selo de recomendação do Tripadvsor colado no vidro de uma propriedade
PUB

O Tripadvisor tem no seu sistema dezenas, senão mesmo centenas, de propriedades que estão a ser acusadas de terem sido palco de agressões sexuais contra mulheres. A notícia, avançada pelo britânico Guardian, refere que numa pesquisa feita no maior site de viagens do mundo, com mais de 456 milhões de visitantes a cada mês, alguns do hotéis visados têm, inclusivamente, avaliações elevadas.

‘K’ é o nome dado à primeira mulher que denuncia um caso de abusos. O nome verdadeiro é ocultado por temer represálias. A mulher terá sido violada por um guia turístico cujos serviços estavam a ser anunciados no Tripadvisor, tentando fazer chegar essa informação à plataforma para que outros turistas estivessem conscientes do risco. K apresentou queixa junto do hotel no qual o homem trabalhava e denunciou-o à polícia, mas o Tripadvisor não tirou a propriedade do seu sistema, sugerindo que a mulher escrevesse um comentário a contar a sua experiência.

“Fiquei desolada. A sério que me estão a pedir que me volte a lembrar dos detalhes humilhantes porque passei naquele ataque sexual? Esta plataforma global incentivou-me a reviver o meu trauma no seu fórum para que todos pudessem ver e comentar ou, pior ainda, para que o próprio agressor pudesse ver”, começou por lamentar, explicando que depois ficou a sentir-se “despedaçada, sem esperança e sozinha”.

O Tripadvisor informou que não iria retirar uma propriedade do sistema em resultado de uma acusação de violação e acabou a enviar à mulher cinco links já existentes na plataforma onde outras pessoas tinham feito denuncias de agressões sexuais.

Num dos casos sugeridos como inspiração a K, uma rapariga de 18 anos conta que foi violada num resort jamaicano depois de ficar embriagada. De acordo com a vítima, o hotel terá contratado advogados para montarem um caso judicial contra ela, mesmo depois de ter sido provado através de testes médicos que tinha sido abusada sexualmente. A propriedade em causa tem no Tripadvisor uma pontuação de 4,5 estrelas (o máximo são 5 estrelas) e encontrar aquele comentário é praticamente impossível, uma vez que já foram feitos milhares de outros depois desse.

PUB
Letreiro branco de hotel desgastado a três dimensões
O Tripadvisor tem mecanismos para identificar estes comentários, mas parece não funcionar. Foto de Pixabay

O Tripadvisor é uma das plataformas mais usadas por viajantes em todo o mundo que através de uma aplicação ou website procuram sugestões de hotéis, restaurantes, museus e muitas outras atrações relacionadas com o turismo nas principais cidades do mundo. As avaliações são dadas pelos utilizadores da plataforma, surgindo no topo da página uma média de todas as notas. Os comentários são apresentados por ordem cronológica, tendo muitas páginas milhares de críticas escritas pelos utilizadores.

Numa investigação do Guardian, foram encontrados mais de 40 comentários onde são retratados abusos sexuais, sendo que em apenas 14 a propriedade respondeu ao utilizador que fez a denúncia e desse só um referiu que tinham sido tomas medidas disciplinares contra o funcionário em causa.

Na verdade o Tripadvisor já tomou medidas que visam sinalizar os hotéis ou outras propriedades que tenham denúncias deste género. A plataforma começou a incluir uma sinalização na página das propriedades denunciadas, sem no entanto ser muito específica quanto ao que significa o sinal. Os utilizadores que virem o sinal na página saberão que aquela propriedade tem problemas relacionados com “saúde, discriminação ou segurança”, sem saber especificamente porquê.

Esta sinalização que pode estar na página de um hotel durante pelo menos três meses veio na sequência da eliminação de um comentário onde era detalhada uma violação por parte de uma vítima por conter linguagem imprópria para o Tripadvisor. De acordo com a reportagem do jornal britânico, esta sinalização não esta presente em nenhuma das propriedades em que encontrou os comentários que relatavam violações, muito menos no hotel visado por K.

Um outro caso é o de Christine que diz ter sido violada num hotel das Caraíbas enquanto passava férias com a família. A mulher de 44 anos acredita que “eles deviam ter um outro tipo de sistema de revisão relacionado com este tipo de incidentes por forma a que este tipo de comentários não fiquem no fundo de todos os outros, impossibilitando os outros viajantes de os encontrarem”.

Mão sobre um puxador de quarto de hotel. Foto de Pixabay
O Tripadvisor é visto por mais de 456 milhões de pessoas a cada mês. Foto de Pixabay

“Muitas mulheres disseram-me que o que aconteceu comigo também aconteceu com elas com diferentes funcionários de outros hotéis. Precisamos de estar conscientes desta realidade”, alertou explicando que “o Tripadvisor tem uma plataforma importante eles têm o dever de manter a segurança pública. Não estou a exagerar quando digo que este é um problema generalizado”.

Em declarações ao Guardian, o Tripadvisor mostra-se focado na resolução deste tipo de problemas, revelando que tem centenas de pessoas a trabalhar exclusivamente na moderação de comentários, para detetar este tipo de situações. Sobre a atribuição de um sinal de perigo atribuído às propriedades, a empresa refere que devem servir para “incentivar os utilizadores a fazerem pesquisas adicionais fora do TripAdvisor” para tentarem perceber se há algo de errado com aquele alojamento.