Um avião perdeu pressão e oxigénio porque o co-piloto decidiu fumar no cockpit

737 da Air China transportava 153 passageiros e nove tripulantes

PUB

Um avião da Air China que no passado dia 10 de julho fazia a ligação doméstica entre Hong Kong e a cidade chinesa de Dalian teve que fazer uma descida de emergência depois de a cabine perder pressão e oxigénio, escreve o Telegraph. Na origem do incidente terá estado a desativação do sistema de reciclagem de ar por parte do co-piloto da aeronave por não querer que o fumo do cigarro eletrónico que estava a fumar se espalhasse pela cabine.

“Na investigação preliminar, descobriu-se que o co-piloto fumava um cigarro eletrónico”, esclarece a China News acrescentando que, de acordo com um funcionário do departamento de segurança da aviação, “o fumo espalhou-se pela cabine de passageiros e os componentes principais do ar-condicionado foram erradamente desligados, deixando o espaço sem oxigénio suficiente”.

As máscaras de oxigénio acabariam por ser libertadas e o avião teve que fazer uma descida abrupta de quase 20.ooo pés em apenas nove minutos. Apesar do sucedido, o problema foi prontamente reparado, tendo o avião retomado a altitude de cruzeiro, chegando ao destino sem mais problemas.

“Eu não sofri lesões físicas, mas o impacto psicológico permanece. Quando fecho os olhos vejo as máscaras de oxigénio penduradas na minha frente”, relatou uma passageira à CNN visivelmente perturbada,

No que diz respeito a consequências, ainda não qualquer tipo de informação, embora a companhia aérea tenha feito saber que vai aplicar uma política de tolerância zero a todos os infratores.

PUB