12 Meses 12 Viagens. Em 2022 vamos voltar às grandes aventuras em quase todos os continentes

Em 2022 os viajantes acreditam que vamos poder voltar às grandes viagens. Aqui estão 12 sugestões, uma para cada mês do ano

capa 12 meses 12 viagens 2022-0
PUB

Depois de no ano passado os viajantes mais conhecidos do país terem deixado grandes marcas da pandemia nas escolhas que fizeram para o 12 Meses 12 Viagens, a verdade é que apesar do aumento do número de casos de Covid-19, 2022 parece o ano do regresso às grandes aventuras. Vamos a quase todos os continentes, mas como há tradições que não se podem perder, também Portugal tem um lugar neste calendário.

Como é habitual os grandes viajantes portugueses responderam à chamada do W360.PT e escolheram um dos destinos que não podem faltar na agenda dos amantes de viagens no ano que está prestes a começar e apontaram um mês ideal para a fazer. Em janeiro começamos aqui perto, em Itália. Para o fim do ano, o Gonçalo Cadilhe e o José Luís Peixoto têm sugestões mais ambiciosas… e estamos todos a fazer figas para que este seja o último ano da pandemia.

Janeiro

Matera, Itália

gabriel soeiro mendes

Uma sugestão de Gabriel Soeiro Mendes, autor do blogue de viagens Filho de Mil Histórias

Seguindo as recomendações dos nossos viajantes, o ano não vai começar muito longe de Portugal: em Itália. O Gabriel Soeiro Mendes, autor do blogue Filho de Mil Histórias, trás um destino que provavelmente muitos não conhecem e que, diz, até era “negligenciado pelos próprios italianos”. Mas de há uns tempos para cá que Matera se transformou na “jóia de Basilicata”, muito à conta da escolha desta cidade para ser o palco da rodagem de filmes de Hollywood tão famosos como “’A Paixão de Cristo, de Mel Gibson ou, mais recentemente, o último ‘007’”.

Classificada como património da Humanidade, o blogger coloca-a “longe da azáfama das grandes cidades, mas não suficientemente pequena para que ao segundo dia de visita já se esteja aborrecido”. Na zona interior-sul do país, Matera “é habitada desde os tempos pré-históricos, altura em que os trogloditas se instalaram nas suas caves esculpidas nos montes calcários”.

PUB

Gabriel Soeiro Mendes sugere qualquer um dos meses de inverno para a visita a esta cidade italiana, por serem os que têm menos turistas e os que não estão debaixo das tórridas temperaturas a que Itália habitua quem a visita no verão. Dois dias bastarão para “explorar com toda a calma as suas sassi, os tais núcleos de construções calcárias. É nas sassi que está a alma de Matera e é onde se concentram quase todos os pontos de interesse da cidade”, revela o autor do blogue Filho de Mil Histórias.

Fevereiro

São Tomé e Príncipe

Andreia Castro, autora do blogue de viagens Me Across The World

Uma sugestão de Andreia Castro, autora do blogue de viagens Me Across The World

Para a Andreia Castro, autora do blogue de viagens Me Across The World, o ano de 2022 não pode terminar sem uma passagem por São Tomé e Príncipe e Fevereiro é um dos melhores meses para o fazer: “embora seja o período as chuvas, assim que o céu se abre as areias ficam douradas e as águas naquele azul turquesa que apaixona qualquer”, descreve no texto que enviou ao W360.PT.

Classificando-as como “as ilhas dos sorrisos”, uma das notas fortes é dada às “gentes boas, simples curiosas e de sorriso estampado na cara”. Também a comida merece ser apreciada com cuidado por todos os que viajarem para São Tomé e Príncipe porque é capaz de “aconchegar o estômago e aquecer a alma, sendo uma das melhores expressões das suas gentes”.

A “ligação história a Portugal” ainda se mantém em “alguns edifícios e roças dos tempos coloniais, mas muitos deles estão já bastante degradaos”, lamenta Andreia Castro. “As praias são todas elas de sonho”, começa por referir a blogger que deixa ainda um “destaque final para a zona do Pico do Cão Grande e para a magia da paisagem circundante, única no mundo”.

Março

Albânia

Ana e Óscar, autores do canal de Youtube Onenightat

Uma sugestão de Ana e Óscar, autores do canal de Youtube de viagens Onenightat

Avançamos no calendário em direção a março e no mapa em direção aos balcãs. São vários os países nesta região do mundo a deixarem os autores do canal de Youtube One Night At indecisos, mas feitas muitas contas de cabeça, a Ana e o Óscar decidiram recomendar a Albânia aos leitores do W360.PT. São os próprios a fazer a pergunta no texto que enviaram: “E porquê?”. A resposta vem logo a seguir: “Porque este país mudou muito a nossa maneira de olhar para os média e aquilo que dizem ou inventam”.

A crítica ao que se lê nos jornais é feita porque “há coisas que nos assustam só de ouvir”. No caso da Albânia “temos a ideia de ser um país mau e inseguro, mas isso é das maiores mentiras que já alguma vez saiu cá para fora”, garantem os youtubers.

“Percorremos o país todo, andámos pelas montanhas, pelas praias e pelo interior. Estivemos inclusivamente em Lazarat e não achámos nada inseguro, bem pelo contrário”, garantem. E um dos motivos que serve de pilar a esta avaliação são as pessoas “genuínas e bastante bondosas”. Mais uma prova de que vale mesmo a pena visitar a Albânia? “Já sentimos saudades só de estar a falar sobre isto”.

Abril

Laos

Tânia e Fernando Viaje Connosco

Uma sugestão de Tânia e Fernando, autores do blogue de viagens Viaje Connosco

Se nada atrapalhar o ano de 2022 e se seguirmos à risca as sugestões dos nossos viajantes, em abril estaremos a fazer as malas para viajarmos para o terceiro continente do ano. Depois da Europa e África, os autores do blogue de viagens Viaje Connosco convidam-nos a seguir em direção ao sudoeste asiático. Tal como a Ana e o Óscar, também a Tânia e o Fernando tiveram dificuldade a escolher um dos país que mais os marcaram, mas acabaram por escolher o Laos: “Marcou-nos”.

Como é habitual, os povos são sempre um fator distintivo que marca a viagem de qualquer pessoa e aqui, mais uma vez, não foi diferente. As pessoas “super humildes e de sorriso no rosto” foram determinantes para que a Tânia e o Fernando escolhessem este do lote de vários países que conheceram na viagem de quatro meses que fizeram nesta região do globo. 

As “magníficas paisagens” são um dos pontos a reter, mas também uma época específica que se celebra precisamente em abril: “O Pi Mai (o ano novo de Laos) também conhecido como Festival da Água e que leva as pessoas a juntarem-se nas ruas”. À diversão impulsionada pela música, juntam-se os “salpicos de água, seja com baldes, mangueiras ou balões de água. A animação é garantida”.

Maio

Azerbaijão

Sónia Justo, autora do blogue Lovely Lisbonner

Uma sugestão de Sónia Justo, autora do blogue Lovely Lisbonner

Depois de um período de confinamento e com as viagens muito limitadas, a primeira vez que Sónia Justo atravessou a fronteira foi para ir até ao Azerbaijão, uma “surpresa muito agradável” que agora apresenta como sugestão para o mês de maio do 12 Meses 12 Viagens do W360.PT.

“Completamente diferente do que estava à espera”, confessa para logo a seguir explicar que o que mais a impressionou foi a capital, Baku, “uma cidade cosmopolita e moderna”. Mas também as montanhas e a zona de Nagorno-Karabakh, ocupada até ao final de 2020 pela Arménia, são indispensáveis no roteiro de uma visita ao país.

Também o Azerbaijão é um dos destinos que conquista os visitantes pelo estômago, com “uma gastronomia fantástica e uma história e cultura muito ricas”. A autora do blogue Lovely Lisbonner explica ainda que “a ocupação russa e o conflito com a Arménia estão ainda muito presentes na memória da população e na forma como nos mostram o seu país”, mas apesar de todos os traumas é “sem dúvida um país a repetir”.

Junho

Macau

Ruthia Portelinha, autora do blogue de viagens O Berço do Mundo

Uma sugestão de Ruthia Portelinha, autora do blogue de viagens O Berço do Mundo

Precisamente a meio do ano de 2022, a sugestão da Ruthia Portelinha, autora do blogue de viagens O Berço do Mundo, é uma visita a uma região com marcas portuguesas antigas e ainda muito evidentes. Os “traços lusitanos” são por isso obrigatórios e podem ser notados “nas praças – com a calçada portuguesa a cobrir os passeios -, na toponímia e na versão local dos pastéis de nata, nas igrejas católicas, com os seus vitrais e anjos em marfim”. Mas esta viagem também vai servir para um contacto com uma das tradições locais mais carismáticas: o Festival dos Barcos Dragão.

Coincidindo precisamente com o mês de junho, esta é uma das “festas chinesas mais tradicionais e divertidas, celebrada no 5º dia do 5º mês do calendário lunar. Em 2022, este feriado de Tun Ng assinala-se a 3 de Junho”, explica a blogger.

“O ponto alto das celebrações, em honra do poeta chinês Qu Yuan (que protestou contra a corrupção afogando-se), é a famosa regata internacional de barcos-dragão que se realiza no Lago Nam Van, na marginal da histórica Avenida da Praia Grande. Equipas locais e estrangeiras participam neste popular evento desportivo de dois dias, um dos favoritos da população de Macau”, explica Ruthia Portelinha.

Julho

Creta, Grécia

joao almeida

Uma sugestão de João Almeida, fundador da comunidade Amantes de Viagens

Em julho, o calor já aperta e já é difícil deixar de pensar na praia e por isso a sugestão do João Almeida recai sobre a maior ilha da Grécia: Creta. “Sol, vestígios de civilizações antigas, dezenas de magníficas praias, paisagens de montanhas impressionantes, desfiladeiros íngremes e boa gastronomia”. É esta a lista que o fundador da comunidade Amantes de Viagens nos trás para nos convencer. Não é preciso mais pois não?

Mas vamos às coordenadas: “A costa Oeste de Creta, na região de Chania, estão algumas das melhores praias da ilha com temperaturas de água a rondarem os 25ºC”, mas há mais por onde explorar. “A famosa lagoa de Balos, com águas azul-turquesa e Elafonisi, uma península com duas partes de água e coberta de dunas de areia clara, por vezes com tonalidades rosadas.

Com cheirinho a verão, o João Almeida recomenda ainda Falassarna, “uma das praias mais bonitas e famosas de Creta tendo sido já considerada a melhor praia da ilha e uma das melhores da Europa. Para terminar, é bom que guarde dias suficientes para este destino porque ainda vai ter que passar por Seitan Limani, “uma praia escondida entre as escarpas das falésias.

Agosto

Flores, Indonésia

Jorge Vasssallo, escritor, líder de viagens e autor do blogue Fui dar uma Volta

Uma sugestão de Jorge Vassallo, escritor, líder de viagens e autor do blogue Fui dar uma Volta

Nos mês que tipicamente os portugueses mais escolhem para férias, o Jorge Vassallo sugere uma ida até Flores. Não, não é nos Açores, mas sim na Indonésia. A justificação para o autor do blogue de viagens Fui dar uma Volta escolher esta entre mais de catorze mil ilhas que existem no país é o “exemplo perfeito de diversidade”.

“Para além de vulcões, selva e praias paradisíacas, Flores orgulha-se da inabalável resistência de tradições, arquitetura e línguas tribais, apesar de uma forte influência católica”, descreve Jorge Vassalo. É neste caldeirão de história que também é possível encontrar as influências de Portugal: “Missionários e comerciantes portugueses estiveram aqui no séc. XVI e, para além da religião, deixaram muitas palavras que ainda hoje são usadas”. O melhor exemplo disto? O próprio nome da ilha.

Flores tem sido “poupada pela pressão turismo”, mas não é por falta de atributos que não atrai mais visitantes. “Aqui é possível visitar o Parque Nacional de Komodo e os respetivos dragões; caminhar pela selva até aldeias remotas nas montanhas; maravilhar-se com as crateras coloridas de um vulcão extinto; ver arrozais em forma de teias de aranha; fazer mergulho e espantar-se com a vida marinha e corais impressionantes; surpreender-se numa caverna com vestígios de ocupação pré-histórica, incluindo os esqueletos de uma espécie de pigmeus que por lá viveram há quase 20 mil anos”.

Setembro

Porto Santo, Madeira

lets run away joão e marina

Uma sugestão de João e Marina, autores do blogue de viagens Let’s Run Away

Ainda a pandemia não tinha dado sinais de existir e os autores do blogue de viagens Let’s Run Away já escolhiam um destino em Portugal para sugerirem aos leitores do W360.PT. Escolheram a Estrada Nacional 2. Um ano depois (também ainda sem sinais dos efeitos que a pandemia poderia vir a causar) sugeriram a rota das Aldeias do Xisto. No ano passado Melgaço foi o destino. Este ano a sugestão do João e da Marina volta a recair sobre um destino português, assumindo assim o papel de verdadeiros embaixadores de Portugal no 12 Meses 12 Viagens.

Porto Santo, no Arquipélago da Madeira é a sugestão para 2022. A “ilha dourada” é “vista por muitos como um excelente destino de praia (que é!), mas que tem muito mais para mostrar nos seus cerca de 40 quilómetros quadrados. Os autores do blogue de viagens Let’s Run Away destacam o “geoparque com imensos geosítios de interesse com percursos pedestres com vistas incríveis”.

A “vida marinha muito ativa e colorida e ainda uma gastronomia deliciosa” são mais dois pontos que ajudam a tomar a decisão de ir passar férias a Porto Santo em setembro. A Marina e o João deu especial destaque à comida, “afinal de contas diz-se que foi aqui que nasceu o Bolo do Caco e qualquer altura do dia é boa para o comer”.

Outubro

Picos da Europa

Ana e Marco, autores do blogue de viagens O Mundo em duas Mochilas

Uma sugestão de Ana e Marco, autores do blogue de viagens O Mundo em duas Mochilas

A sugestão para o mês de outubro é feita pela Ana e pelo Marco, autores do blogue de viagens O Mundo em Duas Mochilas. Não fica em Portugal, mas “é fácil lá chegar de carro”, dizem ao W360.PT. Este fator de proximidade é apontado pelos viajantes como mais um ingrediente para fazer desta aventura, uma “viagem memorável”.

Integrado nas províncias de Astúrias, Leão e Cantábria, o parque natural dos Picos da Europa é “uma autêntica perdição  para os amantes de natureza” e outubro ajuda a fugir às épocas mais altas, mais movimentadas e mais caras.

Apesar de esta não ser a época favorita dos viajantes, a “mudança de estação proporciona cores verdadeiramente imperdíveis”, garantem. “Nós adorámos, e vocês? Quando partem?”.

Novembro

Yucatán. México

José Luís Peixoto, escritor e líder de viagens

Uma sugestão de José Luís Peixoto, escritor e líder de viagens

Cruzar o Atlântico e ir até ao México no mês em que começam a chegar os primeiros dias frios a Portugal é a sugestão de José Luís Peixoto. O escritor e líder de viagens fala num “extraordinário destino, muito menos explorado do que a conhecida Riviera Maya”. A “relativa pouca distância”, estes dois pontos turísticos mexicanos têm tudo para ser visitados em conjunto.

“O estado de Yucatán apresenta uma natureza fulgurante, com selva, milhares de centos e santuários de extensão e diversidade incríveis como é o caso de Rio Lagartos”, descreve um dos mais conhecidos viajantes portugueses. Mas há mais: “Existe a imensa riqueza da herança Maia, com destaque evidente para o Chichén Itzá, mas com muitos outros exemplos”.

O também líder de grupos de viajantes destaca ainda o “monumental passado colonial” em evidência em lugares como Mérida, Itzal ou Valladolid. Fora do roteiro não podia ficar a “impressionante culinária mexicana” que, de acordo com José Luís Peixoto, encontra nesta região “um dos seus esplendores máximos na Cochina Pibil”.

Dezembro

Cidade do Cabo, África do Sul

Gonçalo Cadilhe

Uma sugestão de Gonçalo Cadilhe, escritor de viagens

Para Gonçalo Cadilhe o ano de 2022 pode ainda ser muito marcado por escolhas de destinos de viagem por “exclusão”. Em causa, claro está, a pandemia que voltou a obrigar “países a fecharem-se, companhias aéreas a cancelar voos e destinos a levarem o carimbo vermelho”, tudo isto “quando pensávamos que o pior já estava para trás”. Apesar de tudo, este que é um dos mais renomados escritores de viagens de Portugal sugere a África do Sul, um país que “estará ainda durante alguns meses com o estigma da mais recente variante do coronavirus, logo, com poucos turistas, hotéis vazios e preços baixos”.

As possíveis vantagens circunstanciais juntam-se à meteorologia deste país que fazem dele um destino que pode ser apreciado em qualquer altura do ano. Gonçalo Cadilhe pega ainda no mapa do país para apontar as coordenadas que não devem ficar de fora do roteiro: “A Cidade do Cabo e a Garden Route estão no topo da lista”. Quem tem o sonho de estar perto de animais selvagens que só conseguiu ver na televisão, tem que obrigatoriamente passar pelo “Parque Krugger, geralmente sobrelotado, mas agora não”. O escritor de viagens marca ainda as “paisagens esplêndidas da West Coast ou as montanhas do Drakensberg cinicamente irrepreensíveis” como indispensáveis.

A África do Sul tem tantos atributos que vão encher o olho a qualquer viajante, como tem características que agradam particularmente a Gonçalo Cadilhe. Conhecido amante de surf, o escritor vê neste país um destino particularmente relevante para despachar a prancha: “A onda de Jeffrey’s Bay, considerada a melhor direita de pointbreak do mundo, é muito procurada em anos normais”, mas provavelmente não estaremos num ano normal.

Autor

Artigos Sugeridos