12 Meses, 12 Viagens 2020. Pedimos aos viajantes as melhores sugestões de viagens para o novo ano

Com o ano novo a começar, está na hora de começar a fazer planos. No 12 Meses, 12 Viagens pedimos sugestões de viagens a quem melhor conhece o mundo.

viajantes 12 meses 12 viagens 2020
PUB

Com a chegada do novo ano, chegam os desejos de fazer coisas novas, conhecer outros lugares, conviver com pessoas de todo o mundo. Pelo segundo ano consecutivo, o W360.PT pediu aos mais experientes viajantes do país sugestões de viagens. De janeiro a dezembro, comece já a pegar na agenda porque vai ser difícil terminar a leitura deste artigo sem escolher um destino ideal para visitar em 2020.

Janeiro – Arábia Saudita

Uma sugestão de Filipe Morato Gomes, autor do blogue de viagens Alma de Viajante

A escolha do destino para o primeiro mês do ano, janeiro, coube ao Filipe Morato Gomes. É um lugar que o autor do blogue Alma de Viajante acaba de visitar, garantido ao W360.PT que “é um destino que surpreende pela hospitalidade do seu povo”.

“Das históricas aldeias de Adobe em torno de Riade às ilhas Farasan, em todos os lugares fui acarinhado e senti-me extremamente bem recebido”, afirma.

Sobre o que visitar num país que à primeira vista pode ser repudiado por muitos, o bloguer e líder de viagens sugere: “Aldeias como Rijal Almaa e Ushaiger, espaços naturais como o chamado Edge of the World, a histórica cidade de Jeddah e o incrível legado do povo Nabateu na região de Al Ula, no norte do país, são motivos mais do que suficientes para valer a viagem”.

PUB

Para além da hospitalidade, do povo e da cultura verdadeiramente enriquecedora, destaca-se ainda a recente abertura ao “turismo não muçulmano” o que faz da Arábia Saudita um destino a visitar “antes que fique massificado”.

Fevereiro – Nan e Phrae, Tailândia

Uma sugestão de José Luís Peixoto, escritor e líder de viagens

É na Tailândia que ficam as províncias de Nan e Phrae, sugeridas por José Luís Peixoto para o mês de fevereiro de 2020. São lugares remotos, mas o autor não tem dúvidas de que são uma boa sugestão para quem ainda não escolheu todos os destinos que quer visitar este ano, porque, diz ao W360.PT, tem-se apercebido ao longo dos anos que “os lugares mais remotos não são certos países distantes e pouco visitados, mas sim as regiões ignoradas no interior dos grandes países”.

Com esta sugestão, José Luís Peixoto deixa claro que nenhum país se pode considerar “feito” de ânimo leve e a Tailândia é um desses lugares do globo que tem muito mais para conhecer do que apenas os lugares mais conhecidos: “contar países visitados é um equívoco”, sublinha.

Para ilustrar esta máxima, o viajante diz que “a demonstrá-lo estão as incríveis províncias de Nan e Phrae com o seu quotidiano de templos, mercados, onde a cultura tailandesa (tantas vezes artificial e representada) surge em máxima grandiosidade”.

Como cereja no topo do bolo há ainda a destacar a “natureza, ainda cravada nas suas raízes milenares”.

Março – Veneza

Uma sugestão de Gonçalo Cadilhe, escritor de viagens

A sugestão para o terceiro mês do ano vem de um dos maiores viajantes portugueses, Gonçalo Cadilhe, e é mais do que uma sugestão é um alerta: “Vai, antes que morra”.

Veneza tem estado nas bocas do mundo por causa dos excessos do turismo, dos preços altos e do vandalismo que muitas vezes ameaça a integridade da cidade, mas para o escritor de viagens esta é uma cidade que não pode ficar de fora da lista de desejos de qualquer viajante: “Não sei o que pensas de História, Arte, Cultura, Património e selfies, mas mesmo que nada disto te interesse, não podes morrer sem ter visto Veneza uma vez na tua vida”.

Cadilhe considera mesmo a cidade dos canais como a “mais linda cidade do mundo” e alinha-se com as opiniões da maioria dos viajantes: “Nunca foi tão assediada e visitada como nos últimos anos. E a tendência vai continuar, com milhares de turistas por dia a assolar este monumento frágil e degradado”.

Por tudo isto, Veneza é um dos destinos que é preciso visitar já, antes que perca todo o encanto.

Abril – Amesterdão

Uma sugestão de Sónia Justo, autora do blogue de viagens Lovely Lisbonner

Em abril mantemo-nos na Europa com mais uma das cidades favoritas dos viajantes de todo o mundo e a “mais recente paixão” de Sónia Justo, a autora do blogue de viagens Lovely Lisbonner. O mês de abril ou o de maio talvez sejam os melhores para ir até à capital da Holanda porque é precisamente nesta época que é possível ver os campos repletos de tulipas.

Mas há mais para ver em Amesterdão, nomeadamente “a vasta oferta cultural” que serve “a todos os gostos”. Há muitos museus “que vão dos mais clássicos aos mais arrojados” e também há muitas experiências interativas como é o caso da “visita à House of Bols, a destilaria ou a visita ao Nemo Science Museum”.

Nos passeios pelas ruas da capital holandesa convém ter atenção aos ciclistas porque, alerta Sónia Justo, “têm prioridade sobre os peões, mesmo nas passadeiras”.

Para quem duvida sempre da segurança de cidades tão visitadas como Amsterdão, fica ainda mais uma garantia: “A cidade é muito segura e perfeita para quem se quiser aventurar numa primeira viagem a solo”. A simpatia de quem lá vive e a organização são mais dois pontos a favor da cidade de Amsterdão.

Maio – Ilha de Santo Antão, Cabo Verde

Uma sugestão de Gabriel Soeiro Mendes, autor do blogue Uma Foto, Uma História

Chegamos a maio e partimos em direção a Cabo Verde, mas não na direção dos mais famosos destinos da ilha onde também se fala português. Aos leitores do W360.PT, Gabriel Soeiro Mendes sugere uma visita à Ilha de Santo Antão, “um mundo à parte a apenas quatro horas de Lisboa”.

“A ilha cabo-verdiana de Santo Antão é um daqueles destinos que tem tudo para ser um caso de sucesso do turismo mundial, senão vejamos:  um refúgio paradisíaco, com temperaturas perfeitas, natureza, boa comida, tradições, custos relativamente baixos, segurança e, acima de tudo,  um povo afável. É este último ingrediente que torna Santo Antão especial — a amabilidade e delicadeza das suas gentes, a famosa morabeza”, diz o autor do blogue Uma Foto, Uma História.

Depois de chegados a este verdadeiro paraíso, a sugestão é “visitar o Vale do Paúl, um vale luxuriante, diferente da paisagem cabo-verdiana que imaginamos”.

Junho – Uzbequistão

Uma sugestão de Tiago e Joana, autores do blogue O Mundo na Mão

É a hospitalidade do povo que leva o Tiago e a Joana a sugerirem o “misterioso” Uzbequistão como um destino imperdível para o novo ano: “com uma cultura peculiar, um povo aberto e encantador, uma gastronomia exótica e onde até as vestes são deslumbrantes”, garantem os autores do blogue O Mundo na Mão que já deram uma volta ao mundo quase sem usar aviões e à boleia.

“Cidades lindíssimas, repletas de um azul vibrante e cheias de história”, são outras das características deste que parece ser um destino “pouco afamado”, mas também por isso ainda “muito virgem”.

Se dúvidas restassem, a Joana e o Tiago garantem que foram “genuinamente bem acolhidos e felizes”.

Julho – Islândia

Uma sugestão de Ana e Marco, autores do blogue O Mundo em Duas Mochilas

“Imaginem um destino repleto de paisagens de tirar o fôlego, cascatas por todo o lado, onde o gelo dos glaciares se funde com o fogo dos vulcões: bem vindos à Islândia!”, começa assim o texto onde Ana e Marco fazem uma sugestão de viagem para o novo ano. A época escolhida para levantar voo justifica-se porque “neste mês, este país ganha cores diferentes de todas aquelas que nos ocorrem quando pensamos na Islândia, com os verdes a destacaram-se por entre as paisagens que por vezes nos transportam para um planeta diferente”.

Sem um período em que os dias são longos, há mais um fenómeno verdadeiramente imperdível: “assistir ao impressionante fenómeno do sol da meia noite. Neste período ficam ainda acessíveis as estradas para as Highlands – verdadeiros tesouros naturais escondidos no interior da ilha. São precisos mais motivos?”, perguntam os autores do blogue O Mundo em duas Mochilas. Claro que não!

Agosto – Budapeste

Uma sugestão do W360.PT

Para o mês de agosto a sugestão é do W360.PT e é para um dos destinos que mais turistas tem atraído nos últimos anos, a cidade de Budapeste. A capital húngara tem um lugar de relevo na história europeia e por isso é um destino ideal para quem gosta de saber como é que chegámos aos dias de hoje.

Também é o lugar ideal para conhecer com amigos, com uma noite viva e repleta de animação, é num dos Ruin Bars que a noite pode começar.

A gastronomia é o pretexto ideal para fazer pausas no roteiro e a Paprika é o ingrediente que vai dar sabor à viagem. Mas antes de se sentar à mesa prepare a mala, não se esqueça dos chinelos e toalha de banho e desfrute de momentos de relaxamento numa das muitas Termas que fazem de Budapeste a cidade europeia com mais banhos termais.

Setembro – Rota das Aldeias do Xisto

Uma sugestão de João e Marina, autores do blogue de viagens Let’s Run Away

Pelo segundo ano consecutivo o João e a Marina são os embaixadores de Portugal no 12 Meses, 12 Viagens do W360.PT. A Rota das Aldeias do Xisto junta “o verde das videiras misturado com os tons do xisto tornando a paisagem ainda mais cativante do que podemos imaginar”.

Com este roteiro, os autores do Let’s Run Away acreditam que é possível conhecer “o Portugal mais genuíno”, sendo nas aldeias menos conhecidas que se encontram “os melhores tesouros, os rostos mais acolhedores, o cheiro a lenha nas chaminés”.

Sendo um destino nacional, há uma grande vantagem que não surpreende quem conhece bem o país: a gastronomia. “O pão cozido em forno a lenha que encontramos na maioria dos locais e a chanfana fizeram as nossas delícias, mas há muito mais para descobrir e até o Licor Beirão é da região (e há doces típicos misturados com licor, para provar nos melhores restaurantes)”.

Outubro – África Austral

Uma sugestão de João Almeida, fundador da comunidade Amantes de Viagens

Uma imersão pela cultura africana é o que sugere João Almeida, numa aventura que pode ser a ideal para quem quer conhecer os “big five” da natureza (leão, elefante, búfalo, leopardo e rinoceronte), visitando os maiores parques naturais do mundo.

O fundador da comunidade Amantes de Viagem sugere aos leitores do W360.PT uma viagem de camião em Overland, partindo depois “à aventura pelas maravilhas da região sul de África”.

A viagem pode englobar várias paragens que vão desde “o Delta do Okavango às Cataratas Victória. Do Parque Nacional Chobe (Botswana) ao P. Nacional Hwange (Zimbabué), passando pelo ao Kruger (África do Sul)”.

Novembro – Tailândia

Uma sugestão de Susana Ribeiro, líder de viagens

A Tailândia é o destino escolhido pela Susana Ribeiro como sugestão de viagem para 2020, mas “não é por ter viagem programada para lá, com um grupo que a líder de viagens faz esta sugestão, garante. A justificação prende-se com o facto de acreditar que este é um país para “conhecer e voltar”.

“Os tailandeses são extremamente acolhedores, o país tem belezas naturais incríveis (desde as praias aos parques naturais), a comida é ótima e o ambiente muito divertido”.

Depois de tão boas e variadas justificações para que qualquer pessoa queira ter a Tailândia na lista de desejos, há mais um ingrediente ao qual não é possível fugir: o clima. “Não há melhor forma de acabar o ano: fugir do frio e ir para o quentinho da Tailândia!”

Dezembro – Namíbia

Uma sugestão de António Pedro Moreira, escritor de viagens

A última sugestão do ano é feita por António Pedro Moreira e é a “Suíça de África”, uma comparação que o autor compreende: “Para quem procura uma “África a sério”, mas também tem alguns receios em relação à segurança e conforto pode arriscar neste que é dos meus países preferidos do mundo”.

“Abdicando de grandes passeatas pela capital Windhoek, o ideal é abraçar a estrada de imediato. Entre subidas às maiores dunas do mundo com um caminho até lá extremamente cinematográfico, em que passamos pelo deserto que também serve de safari não-oficial, com avistamentos de todo o tipo de animais, passando pelo real safari Etosha de preços acessíveis e noites memoráveis a ver os “water holes” onde os animais vêm matar a sede”.

Mesmo antes de abandonar o país, António Pedro Moreira sugere ainda uma visita à cidade abandonada de Kolmanskop que tem uma “mística apocalíptica”.

O Desfiladeiro de Fish River ou o oásis de Waterberg Plateau são mais dois imperdíveis que fazem da Namíbia um país repleto de “segredos impossíveis de guardar”.