ViagensLugaresGaleria de Arte Contemporânea de Roma. Cézanne, Monet, Van Gogh… Haverá melhor descrição?
Inscrição no topo da fachada da Galeria Nacional de Arte Moderna e Contemporânea de Roma Itália

Galeria de Arte Contemporânea de Roma. Cézanne, Monet, Van Gogh… Haverá melhor descrição?

PUB

Os amantes de arte talvez nem precisem de ler todo este texto para perceberem que visitar a Galeria de Arte Contemporânea de Roma nunca vai ser tempo perdido, basta citar alguns dos artistas que vão encontrar nas mais de 50 salas destes espaço de dimensões generosas: Cézanne, Canova, Monet, Van Gogh, Picasso, Rodin.

Para os mais indecisos talvez seja necessário dar mais alguns detalhes, por isso isso devemos começar pela história. A Galeria Nacional de Arte Contemporânea de Roma nem sempre foi aqui. As primeiras obras foram expostas no Palácio das Exposições que fica bem no centro da cidade, na via Nazionale. Por lá ainda há outras obras para ver, mas essas fazem parte de um museu independente. Aqui a história é outra.

Já não estamos no coração de Roma, mas continuamos numa zona muito agradável para ser visitada. Com a referência da Piazza Del Popolo, devemos subir as escadas que dão acesso aos Jardins do Píncio e a partir de lá desfrutar do ar puro que se respira nos Jardins da Villa Borghese. Os corajosos e verdadeiramente amantes de arte têm duas opções: ou seguem diretamente para a Galeria ou fazem um desvio e visitam primeiro a Galeria Borghese que alberga várias esculturas e pinturas de Gian Lorenzo Bernini, Caravaggio, Leonardo da Vinci, Rafaello, Rubens ou Ticiano. Só pela enumeração destes artistas certamente já percebeu o valor deste museu. 

As obras estão instaladas num antigo palácio que construído em 1616 e que serviu de habitação para mais um dos ilustres elementos da família Borghese, Scipione Borghese. Era um cardeal católico, arcebispo de Bolonha que acabou por se estabelecer na cidade de Roma. 

À semelhança do que aconteceu com os jardins, também o palácio foi adquirido pelo estado para que passasse a estar aberto ao público, mostrando algumas das mais impressionantes esculturas que Itália acolhe. Agora é um dos mais importantes museus do mundo, incontornável para quem visita Roma.

PUB

Mas vamos voltar ao que nos trouxe aqui, a Galeria de Arte Contemporânea de Roma que alberga obras do século XIX e XX. Criada em 1883, nasceu com o objetivo de albergar num único lugar as mais relevantes obras dos mais importantes artistas da recém unificada Itália. Consegue a proeza de ser a casa de peças que vão desde o período Neoclássico até as obras abstratas criadas por volta da década de 60.

São mais de 5 mil as esculturas e pinturas que podem ser observadas neste espaço que consegue o título de maior museu de Itália, precisamente por conta do número de referências. O imponente edifício onde hoje é possível visitar as obras da Galeria Nacional de Arte Contemporânea foi inaugurada por ocasião da Exposição Internacional de 1911.

Galeria de Arte Contemporânea de Roma
Roma, Itália (Viale delle Belle Arti, 131)
 adultos: €10 | residentes na UE entre os 18 e os 25 anos: €2 | menores de 18 anos: grátis
terça a domingo: 8h30 às 19h30

A estação de metro mais próxima da Galeria de Arte Contemporânea é Flaminio (linha A). Também é possível chegar ao museu usando as linhas 88, 95, 490 e 495. de autocarro.

Para ver o museu com algum nível de detalhe reserve pelo menos duas horas.
Artigos Sugeridos

Mestre em Ciência da Informação, estudei em Coimbra e Madrid. Trabalho atualmente em Lisboa. Tenho o pequeno sonho de conhecer o mundo e contar ao mundo as maravilhas que tem. claudiapaiva@w360.pt