ViagensPequenos na EstradaNo Equador os Pequenos na Estrada viram neve pela primeira vez

No Equador os Pequenos na Estrada viram neve pela primeira vez

PUB

Equador, 26 de julho de 2018

Após praticamente um mês em terras peruanas, cruzamos a fronteira e fomos visitar o Equador!

Estávamos ansiosos por conhecê-lo. Tínhamos escutado falar de suas altas montanhas e bela natureza, além das preservadas cidades coloniais. E, naturalmente, ouvimos muito falar do seu principal destino turístico, que é o arquipélago de Galápagos.

A economia do Equador é dolarizada e por conta disso, visitar o Equador acaba sendo relativamente caro se comparado aos demais países da América do Sul. Assim, tendo em conta que estamos em uma viagem longa, foi preciso priorizar o que gostaríamos de conhecer por lá.

Após refletirmos bastante, não fomos conhecer Galápagos. O arquipélago é um destino atraente e chamativo a turistas de todo o mundo, e por conseguinte muito caro. Além de Galápagos, decidimos também não visitar a parte do litoral, incluindo Guayaquil, e seguimos pelo interior e pelas montanhas com destino a Cuenca.

Cuenca

Cuenca foi nosso primeiro destino no Equador! Uma linda e tranquila cidade colonial, que de acordo com seus moradores possui uma igreja para cada domingo do ano.

PUB

Passeamos bastante pelo charmoso centro histórico, e as crianças adoraram brincar do Parque Calderón em frente à belíssima catedral de Cuenca, com suas grandiosas cúpulas azuis que dominam a paisagem da cidade.

Catedral de Cuenca

Porta Catedral de Cuenca

Durante o passeio pudemos ver a arquitetura da cidade e de suas diversas igrejas e ao final paramos em um mirante de onde se vê a cidade inteira.

Mirante Cuenca

Nos despedimos de Cuenca, tiramos nossas roupas de frio do bagageiro e seguimos rumo ao norte, para visitar os Vulcões Chimborazo e Quilotoa, que situam-se entre Cuenca e Quito, na Cordilheira dos Andes.

Chimborazo

Fizemos muitos passeios incríveis até aqui, mas a primeira vez que se vê neve é inesquecível! Não foi a minha primeira vez nem a da Ana, mas foi a dos pequenos. E iremos guardar essa memória com mais carinho ainda!

Visitamos o Chimborazo, que é um vulcão nevado localizado no Equador com aprox.. 6.300m acima do nível do mar. De carro, é possível subir ao primeiro refúgio, a 4800m, e de lá se pode fazer uma trilha para os acampamentos que levam ao cume, incluindo uma trilha ao segundo refúgio situado a 5.000m.

Chimborazo

Havia muita neve no chão e um pouco de frio (estávamos bem agasalhados), mas nosso pequeno aventureiro Mateus de 5 anos não se contentou em ficar apenas nos 4.800m e quis fazer a trilha até os 5.000m. Claro que o papai não hesitou e lá fomos nós. Já as meninas ficaram brincando nas poças de água com neve derretida e vendo a linda paisagem coberta de neve.

Início Trilha Chimborazo

Começamos nossa trilha animados, mas logo passamos a andar mais devagar e a altitude começou a mostrar seus efeitos. Após uns 40 minutos de subida, já estávamos cansados. Mateus mal conseguia caminhar, mas já havíamos passado da metade do trajeto e faltava pouco. Bem preocupado, falei para ele: “Rapazinho, já subimos bastante e estamos cansados. Que acha de voltarmos?” Ele olhou para mim com uma cara meio triste, e disse que sim. Começamos a descer, mas logo após os primeiro passos ele me chama e diz: “Papai, estamos perto. Não podemos voltar agora, quero ir até o fim. Como vamos voltar e dizer que não conseguimos?” Me emocionei nesse momento e fiquei com um sério dilema. Como pai, estava preocupado, pois estava a praticamente 5.000m de altitude em uma montanha, com frio e neve e com uma criança de cinco anos cansada. Por outro lado, existem alguns momentos na vida que temos a oportunidade agir como exemplo aos nossos filhos, e esse era um deles. Não poderia voltar, muito menos agora.

Falei para ele: “Mateus, estamos cansados, mas vamos fazer um esforço e vamos juntos conseguir chegar lá.”

Subindo e brincando a 5.000m acima do nível do mar

Depois de uma caminhada total de pouco mais de 1 hora na montanha, chegamos ao segundo refúgio aos 5.000m. Estávamos muito cansados e tive que carregar o Mateus nos últimos 10 minutos, mas nossa alegria em ter chegado lá foi maravilhosa!

Após voltarmos, nos encontramos com Ana e Sofia para um abraço e um lanchinho naquele belo lugar rodeado de neve. Nenhum de nós havia estado em tal altitude anteriormente, e para todos nós foi uma experiência bem legal apesar de cansativa.

Quilotoa

O Equador tem diversos vulcões, mas para nós três vulcões chamaram mais a atenção. O Chimborazo, que visitamos e vimos neve, o Cotopaxi, que é muito bonito de longe e ainda está ativo e se vê fumaça saindo (nós não fomos nesse por conta do mal tempo, apenas o vimos da estrada) e o Quilotoa.

O Quilotoa tem como diferencial a incrível lagoa formada em sua imensa cratera, que nos impressiona por sua cor viva e que muda levemente o tom a depender da hora do dia.

Cratera Vulcão Quilotoa

Subimos no Quilotoa de carro e chegamos ao povoado que há por lá, estacionamos e seguimos para o mirante. Existe uma trilha onde se pode descer até o lago dentro da cratera e fazer canoagem.

Nós ficamos admirando a bela cratera desde o platô, tirando fotos e correndo com os pequenos, que nesse dia lembraram do pega-pega banana.

Quilotoa

Esse é um passeio muito fácil e tranquilo, e muito embora estejamos em um lugar alto, não é preciso fazer esforço e não tivemos qualquer problema por conta da altitude.

Quito

Após alguns dias nas montanhas vivendo a bela natureza dos Andes Equatorianos, chegamos a Quito bem animados e com as energias carregadas!

Quito, a capital do Equador, é uma cidade muito agradável e cheia de turistas e viajantes que visitam em seu belo centro histórico e disputam um melhor lugar para melhores fotos.

Por ser cidade grande, estávamos preocupados com segurança, e com o que fazer com o nosso carro, que por sua altura, não consegue entrar em estacionamentos comuns.

Nos hospedamos em um hotel com estacionamento aberto e bem localizado, o que nos deixou muito tranquilos e com fácil acesso aos pontos que queríamos conhecer da cidade.

Para percorrer Quito, usamos ônibus de linha (ou ônibus comum) e também o ônibus que faz city tour. Este último tem 11 paradas pré-determinadas, e então podemos descer para conhecer o lugar, e subir no ônibus seguinte que passa uma hora depois. Isso torna o passeio prático por visitar os principais pontos e ao mesmo tempo por escolhermos quanto tempo passaremos em cada local.

Centro Histórico Quito, com a Virgen del Panecillo ao fundo, em cima do morro

Para nós, os pontos altos da cidade são seu imenso e belo centro histórico, ótimo para passear e ver as construções coloniais (além de tomar um gostoso sorvete), a Basílica do Voto Nacional (a maior basílica neogótica das Américas), e o morro onde encontra-se a Virgen del Panecillo – onde se tem uma linda vista da cidade. Foi muito tranquilo fazer o passeio com os pequenos, e eles aproveitaram bastante.

Basílica Voto Nacional

Virgen del Panecillo

Depois de um dia cultural, resolvemos deixar o dia mais livre para as crianças. Quito tem alguns parques e escolhemos o Parque La Carolina para passar o dia com elas.

O parque é bem grande e conta com uma enorme área verde. Lá existe uma academia a céu aberto onde muitos faziam exercício, um lago com pedalinho e até um jardim botânico bem recomendado, mas não chegamos a entrar.

Parque La Carolina

Mateus tinha comprado uma bola de futebol em Cuenca e estava louco para estreá-la. Assim, com a bola de baixo do braço, pegamos um ônibus de linha que nos deixou bem perto ao parque.

Jogamos bastante futebol e brincamos nos brinquedos tradicionais como escorrega e balanço.

Ah, dizem que todo dia chove em Quito, normalmente no final do dia. E foi o que aconteceu nos dias em que estivemos lá. Se for visitar esta bela cidade, fique atento com esse detalhe e procure um lugar bem bacana como uma sorveteria ou doceria para se abrigar nesse horário!

Mitad del Mundo

Após curtirmos o centro histórico e parques em Quito, chegou a hora de deixarmos a encantadora capital do Equador para seguirmos viagem. Mas antes, ainda faltava visitar o famoso parque Ciudad Mitad del Mundo.

Esse parque não fica exatamente em Quito, mas a 26 quilômetros ao norte, e ele marca o exato local onde passa a imaginária linha do Equador na latitude 0, que divide o nosso planeta entre os hemisférios norte e sul.

Mitad del Mundo

É um ótimo lugar para passear com crianças pois o parque é bastante amplo e espaçoso, além de ser muito interativo. Para os curiosos por história, existem diversas referências a cientistas, geógrafos e cartógrafos que contribuíram para mapear o local exato onde passa a linha do Equador; além de um museu sobre a população indígena do Equador. Para os curiosos por ciência, existem experimentos práticos e ilustrações explicando o magnetismo do planeta e como ele funciona, além do planetário.

Para os que gostam de fotos, há lugar para exercitar a criatividade tirando fotos engraçadas e curiosas, por exemplo, com uma perna em cada hemisfério. E depois de tanta brincadeira e aprendizado, há lugar para os famintos, com algumas opções de bares e restaurantes. Ótimo lugar para passar o dia com as crianças!

ARTIGO ANTERIOR  PRÓXIMO ARTIGO 

Artigos Sugeridos