O Dubai é seguro? São simpáticos? Falam inglês? O Ranking de Simpatia

Viajar para o Médio Oriente pode fazer despertar várias campainhas, mas não é preciso haver receio, a segurança é máxima. Ranking de Simpatia

RANKING SIMPATIA dubai nova capa
PUB
RAKING DE SIMPATIA_logo

Partimos em direção ao médio oriente para conhecer o mais famoso dos Emirados. No Dubai tem havido um grande empenho para que os turistas passem por lá mais tempo e descubram as atrações colossais que têm construído nos últimos anos. Mas a hospitalidade não se constrói com areia e cimento, será que está enraizada? No ranking de simpatia medimos o pulso às características que nos fazem voltar a um país.

Domínio do inglês

O inglês quase parece a língua oficial dos Emirados Árabes Unidos, não só porque é um país aberto ao mundo pela via do turismo mas também porque acolhe muitos estrangeiros para viver e trabalhar.

Em todos os espaços públicos (dos monumentos aos transportes públicos, passando pelos supermercados e restaurantes) a primeira língua com que se dirigem a nós é o inglês. Identificados que somos como estrangeiros, em momento nenhum alguém se aproxima para falar árabe. O mesmo com as placas sinaléticas da cidade. O árabe aparece quase sempre traduzido: nas placas de trânsito, no metro ou nos menus dos restaurantes. Em momento nenhum a língua é uma barreira, mesmo estando a falar num idioma muito diferente do nosso.

Segurança

Na Marina do Dubai um homem atira-se à água a partir de um cais de embarque. Estava a ser perseguido pela polícia e esta ação aparentemente pouco racional parece ser o único caminho que encontra para tentar escapar. Em terra são vários os turistas que recorrem aos telemóveis para registarem o momento que parece saído de um filme, mas rapidamente desistem quando recebem ordem para parar de gravar dada por um homem.

Este momento que presenciámos ao vivo e a cores ajuda a perceber como funciona a segurança interna no Dubai. Este homem que nos manda parar de gravar é um polícia à paisana, mas não é o único. É assim que atuam as forças de segurança, de forma discreta, misturados com o resto da população e turistas. A presença policial não é muito evidente, mas está lá.

PUB

Não é difícil encontrar quem coloque o Dubai e os Emirados Árabes Unidos no topo das localizações mais seguras desta região do globo. Em termos formais, o próprio Ministério dos Negócios Estrangeiros português considera o país como “estável e seguro” e no terreno é possível observar que a maioria das zonas turísticas são altamente frequentadas mesmo em horários mais tardios e a sensação de segurança é sempre muito elevada.

Transportes Públicos

A cidade do Dubai não tem um centro a partir do qual cresceu, foi construída ao longo da costa e desenvolveu-se como uma língua gigante. Os benefícios para quem por cá vive serão muito apreciados, porque crescer para dentro do continente implicaria que milhares de pessoas vivessem no meio do deserto. Mas isto faz com que de uma ponta à outra da cidade se possa demorar perto de uma hora na principal linha do metro que foi desenhada em linha reta.

Apesar de tudo, o metro funciona muito bem. Os tempos de espera nunca vão muito além de quatro minutos e tanto as estações como os comboios são climatizados, o que ajuda a esquecer as temperaturas muito altas que se fazem sentir nos meses mais quentes.

A linha vermelha é a principal, rasga a cidade ao meio, serve o aeroporto e ajuda a chegar a quase todos os pontos turísticos. A linha verde está ligada à linha vermelha através de duas estações e é a mais usada para visitar os mercados do ouro e das especiarias na zona velha da cidade. Há ainda uma linha de monorail que liga a Marina do Dubai ao topo da palmeira, onde se localiza o complexo Atlantis (hotel, parque aquático e aquário com várias espécies marinhas).

A cidade também está servida por uma rede de autocarros que ajudam a complementar alguns percursos aos quais o metro não consegue dar resposta, mas sempre que é preciso complementar viagens de metro com autocarro o percurso poder durar uma verdadeira eternidade.

O Dubai é verdadeiramente colossal e mesmo com o apoio dos transportes públicos vai ser preciso caminhar bastante para chegar a muitas atrações, pelo que considerar alugar um carro para alguns dias da viagem pode ser uma excelente opção. É também por isso que a nota que damos aos transportes públicos não é a mais alta. A infraestrutura rodoviária é muito evoluída e a cidade está claramente pensada para quem anda de carro: as estradas são largas, com várias vias; há muitos parques de estacionamento e muitos deles são muito baratos ou mesmo gratuitos e até o preço da gasolina convida a pegar no carro (cerca de 60 cêntimos por litro).

Simpatia

O Dubai é um dos melhores lugares para conhecermos a simpatia do povo árabe. Apesar da austeridade associada às roupas pesadas que vestem, mesmo as mulheres mais tapadas conseguem sorrir com o olhar. Foi precisamente uma dessas mulheres que protagonizou um dos episódios da nossa viagem que é ilustrativo das cinco estrelas que damos à simpatia das pessoas que moram neste país.

Na Marina do Dubai, tentávamos encontrar o lugar de embarque para apanharmos o barco que nos levaria ao Ain Dubai, quando identificamos um ponto de informação da empresa que gere os transportes públicos. Antes de nos indicar o lugar exato que procurávamos, esta funcionária pegou num walkie-talkie e pediu a quem estava do outro lado para esperar. Corremos e ainda conseguimos apanhar este transporte, graças a esta gentileza.

Este foi apenas um episódio com benefícios práticos, outros houve que foram apenas atos de cordialidade, mesmo sem ser preciso pedir ajuda.

Organização

Ao contrário das vetustas capitais europeias ou de outras cidades antigas do mundo árabe, a cidade do Dubai foi pensada para ser gigante, com muitas pessoas, muitos automóveis e grandes infraestruturas. Toda esta colossalidade dá espaço para tudo: lugares de sobra para estacionar o carro, meios de transporte como bons acessos e muitos lugares e serviços bem pensados para que deles precisa.

Estarmos a falar de um país demasiado severo para quem comete infrações e não-democrático também ajuda a quem tudo funcione melhor: não grafitis nas paredes, objetos de rua paridos ou carros estacionados em cima de passeios.

Limpeza

Na generalidade dos espaços públicos a organização surge associada à limpeza, não há caixotes do lixo a transbordar e os restaurantes são asseados. Até usar uma casa de banho pública pode ser uma experiência tranquila e muito agradável. Em quase todas há um funcionário que está lá só para fazer a limpeza do espaço de cada vez que uma pessoa acaba de o usar.

Pedido de visto

Não é preciso pedir previamente um visto para entrar no Dubai. Portugal é um dos países que estabeleceu com os Emirados Árabes Unidos um acordo que isenta quem visita o país para turismo e por menos de 90 dias de pedir um visto de entrada com antecedência. A única exigência é ter um passaporte com pelo menos seis meses de validade. Chegado ao aeroporto, basta apresentar o documento às autoridades alfandegárias, passar por um rápido processo de reconhecimento fácil e o passaporte é carimbado com o visto de entrada nos Emirados Árabes Unidos.

Dubai
Emirados Árabes Unidos
árabe
3 137 463 hab.
Dirham (AED)
GMT+4
britânicas, 3 pinos
+971
999
De abril a outubro, o Dubai enfrenta os meses de maior calor com temperaturas quase sempre superiores a 40ºC durante o dia. Os meses de inverno, de novembro a março, o calor continua a fazer-se sentir mas as temperaturas são mais amenas. Durante todo o ano o deserto sente-se particularmente com um ambiente muito seco.
Artigos Sugeridos